Vendas externas de açaí geram receita de mais de 200 milhões de reais ao Pará

Notícia postada em 27/05/2015 01:43

O açaí está entre os produtos agrícolas de maior expressão no Pará, com potencial para crescer ainda mais, acompanhando o aumento do interesse por parte de consumidores nacionais e internacionais. Em 2014, a venda de polpa e mix de açaí tanto para o mercado interno quanto para o mercado externo injetou cerca de R$ 225,7 milhões na economia local.

Com a expansão das vendas, observada principalmente na última década, a produção passou a ser insuficiente para fazer face à procura. Nesta sexta-feira (29), a Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) promove o II Seminário Sobre Cultivo do Açaizeiro no Pará, para discutir o cenário econômico da cultura do açaí no Estado, o potencial dos sistemas de produção e os gargalos que atrapalham a expansão do cultivo. As discussões vão servir de subsídio para a elaboração do Programa Estadual para a Expansão da Cultura do Açaí no Estado.

O Pará se destaca como o maior produtor nacional de açaí. No ano passado, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a produção atingiu 795 mil toneladas de frutos em uma área plantada superior a 143 mil hectares. Os principais municípios produtores são Igarapé-Miri, Abaetetuba, Bujaru, Cametá e Limoeiro do Ajuru. O fruto é cultivado, de acordo com o último Censo Agropecuário, em 12.804 propriedades rurais paraenses. Com relação ao processamento, os números também são grandiosos. Pelo menos dez mil batedores artesanais processam o produto em todo o Estado.

Técnicos, produtores, empresas de extensão rural e assistência técnica, associações de produtores, agroindústrias, universidades e institutos de pesquisa foram convidados para participar do seminário.  Os debates vão ocorrer no auditório da Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa), a partir das 8h30.

A primeira mesa redonda será sobre cenário econômico do açaí no Pará e no Brasil com a participação de Alfredo Homma, Geraldo Tavares e Ivan Hitoshi. Em seguida serão discutidas as potencialidades e sistemas de produção do açaí em várzea e terra firme, com a participação de Antônio Leite, Francisco de Jesus Pereira, Antônio Coutinho e João Tomé Neto.

Uma terceira mesa redonda discutirá os gargalos tecnológicos e normativos ao cultivo com a participação do deputado estadual Airton Faleiro e de representantes das secretarias de Estado de Fazenda e de Meio Ambiente e Sustentabilidade, da Celpa e da Embrapa. Em seguida, está programada palestra sobre crédito rural para o açaí com representantes do Banco da Amazônia, Banco do Brasil e Banco do Estado do Pará (Banpará).


Fonte: Agencia Pará, com informações da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca

Comente esta notícia