Unicamp participa de projeto europeu para a regulação da nanotecnologia

Notícia postada em 05/06/2015 09:22

O Laboratório de Síntese de Nanoestruturas e Interação com Biossistemas (NanoBioss) do Instituto de Química (IQ) da Unicamp é um dos oito representantes brasileiros no projeto europeu NanoReg, que fará a regulação internacional das pesquisas em nanotecnologia. A participação brasileira no projeto foi oficializada, no final de maio, com a assinatura de um termo de cooperação, durante reunião em Lisboa.

O NanoBioss foi criado em junho de 2013, a partir da fusão do Laboratório de Química do Estado Sólido (LQES) e do Laboratório de Química Biológica (LQB). A nova unidade é coordenada pelo professor Oswaldo Luiz Alves e tem como vice-coordenador o professor Nelson Durán. O NanoBioss integra o Sistema Nacional de Laboratórios em Nanotecnologias (SisNano), que conta com financiamento direto do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

De acordo com o professor Oswaldo Luiz Alves, a questão da regulação é atualmente um dos temas-chave da nanotecnologia. Clusters espalhados pelo mundo estão se dedicando ao tema, com o propósito de tornar as pesquisas nessa área do conhecimento mais seguras. “Um desses clusters é o NanoReg, que reúne diversas instituições europeias. Por causa da excelência de suas pesquisas, o NanoBioss foi credenciado para participar desse esforço mundial”, explica.

Dentro de aproximadamente um mês, estima o docente, os laboratórios que integram o NanoReg deverão iniciar suas atividades com vistas à regulação. “Todos farão experimentos baseados no mesmo protocolo e com a mesma tecnologia. Depois de algum tempo, nós nos reuniremos para confrontar os resultados, de modo a identificar acertos e discrepâncias. O objetivo é robustecer os métodos de tratamento para evitar os riscos inerentes às pesquisas em nanotecnologia”, informa.

O Brasil e a Coreia do Sul são os únicos países fora da Europa com participação no NanoReg. Aqui, a coordenação científica do projeto está a cargo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). A gestão no âmbito do governo federal cabe à Coordenação-Geral de Micro e Nanotecnologias (CGNT), vinculada ao MCTI, junto ao Comitê Interministerial de Nanotecnologia (CIN).

No Brasil, além da Unicamp e do Inmetro, também participam do NanoReg as seguintes instituições: Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste (Cetene), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade de São Paulo (USP), a Universidade Federal do Rio Grande (FURG) e Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Fonte: Unicamp

Comente esta notícia