Temer retira recursos de programas essenciais para contemplar base aliada

Notícia postada em 08/07/2017 19:22

O governo Michel Temer (PMDB) acaba de abrir um crédito orçamentário no valor de R$ 396,3 milhões para beneficiar municípios e estados governados por partidos de sua base. A notícia foi publicada ontem na “seção 1”, do Diário Oficial da União. Para o líder do PT na Câmara, deputado Carlos Zarattini (SP), a ação tem a clara intenção de só atender as demandas de partidos que apoiam a manutenção do governo ilegítimo, neste momento de graves denúncias de corrupção contra Temer e seus ministros.

“É mais uma tentativa de compra de votos para segurar um mandato ilegítimo”, ressaltou o líder petista. A iniciativa reserva quase a totalidade dos recursos (97,5%) para vários ministérios.

Para Zarattini, o absurdo é que, para atender as suplementações, os recursos estão sendo retirados de programas consolidados pelos governos petistas de Lula e Dilma. Ele citou como exemplo o programa “Moradia Digna”, a área de mobilidade urbana, o setor de saneamento básico, o “Bolsa Atleta” e “Esporte de Alto Rendimento”, a Pesquisa Agropecuária desenvolvida pela Embrapa e a Pesquisa Energética. E, ainda, recursos que se destinariam a prestar informações sobre alerta de riscos de desastres naturais, inclusive de mapeamento realizado em municípios com áreas de riscos geológicos.

O Ministério das Cidades vai usar recursos para atender a obras de pavimentação urbana, construção de pontes de interligação de bairros, calçamento de áreas em processo de urbanização, sinalização de trânsito, dentre outras. O Ministério do Turismo contempla, basicamente, projetos turísticos diversos em municípios. No Ministério dos Esportes, a verba apoia eventos de lazer e modernização de infraestrutura para esporte educacional, recreativo e de lazer.

Na pasta da Agricultura, os recursos destinam-se à aquisição de máquinas e equipamentos agrícolas, patrulha mecanizada, manutenção e conservação de estradas vicinais, construção de matadouro municipal e de mercado de produtos agropecuários, construção ou reforma de parque de exposição agropecuária, realização de eventos agropecuários (exposições, feiras, seminários, palestras, etc), entre outros.

PT na Câmara

Foto: Divulgação

Comente esta notícia