Servidor do governo Alckmin fica milionário em dois anos

Notícia postada em 29/09/2015 19:51

Responsável por 28 unidades prisionais no estado de São Paulo, servidor público construiu casas avaliadas em cerca de R$ 7 milhões, o que representa 32 anos de salário

Coordenador de presídios do governo de São Paulo em 2006, Hugo Berni Neto, recebe salário mensal abruto de R$ 18 mil para cuidar de 28 unidades prisionais do estado, incluindo as licitações milionárias da Secretaria de Administração Penitenciaria. No entanto, nos últimos dois anos, seu patrimônio cresceu substancialmente.

De acordo com reportagem publicada pelo jornal ‘Folha de S. Paulo’, nesta terça-feira (29), nesse período, Berni Neto tornou-se sócio da irmã em uma imobiliária. O empreendimento recém-fundado construiu, em dois anos, casas em condomínios de alto padrão de Sorocaba, avaliadas em mais de R$ 7 milhões. Com seu salário, o servidor levaria 32 anos para acumular o valor.

Alguns contratos de licitação realizados sob seu comando foram questionados pelo Tribunal de Contas do Estado. Em 2010, foi reprovada a contratação, realizada em 2008, para alimentação de detentos, avaliada em R$ 1,2 milhão.

A Geraldo J. Coan, empresa contratada na época, estava envolvida com a “máfia da merenda”. Seus responsáveis foram acusados de pagar propina e fraudar licitações.

O Ministério Público investiga a coordenadoria de Berni Neto por suspeita de superfaturamento na aquisição de alimentos para um dos presídios, em contrato coma Geraldo J. Coan.

A empresa está construindo um condomínio inteiro, com 24 casas, que pode chegar a R$ 15 milhões. O jornal ressalta que a empresa, fundada em 2011, ampliou seus rendimentos com a “a entrada do coordenador de presídios do governo Geraldo Alckmin na Midas Empreendimentos, em 2013”.

A Midas é oficialmente controlada pela irmã de Berni Neto, a psicóloga Rita de Cássia Berni. Desde a entrada do servidor na Midas, o capital social do empreendimento saltou de R$ 2 mil para R$ 273 mil.

A reportagem foi a cartórios e identificou, em dois anos, 12 terrenos comprados pela Midas em condomínios fechados, onde foram construídas casas avaliadas entre R$ 650 mil e R$ 900 mil.

Coordenadoria – Em 2006, Berni Neto assumiu a coordenação das unidades da área central de São Paulo e, em seguida, foi transferido para a coordenação das prisões da região metropolitana.

No mesmo ano, a irmã dele e atualmente sócia, adquiriu 21 imóveis. Em 2005, Rita de Cássia tinha apenas um imóvel, avaliado em R$ 56 mil.

Fonte e foto: Agência PT de Notícias, com informações da Folha de S. Paulo/Foto: Agência Brasil

Comente esta notícia