Pronatec terá 2 milhões de vagas em 2016 e cursos serão oferecidos também pela TV, anuncia Dilma

Notícia postada em 09/03/2016 18:07

A presidente Dilma Rousseff anunciou, nesta quarta-feira (9), as novas metas do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), que terá dois milhões de novas vagas em 2016. Parte delas será ofertada especialmente a estudantes do programa de Educação para Jovens e Adultos (EJA), do Ministério da Educação (MEC). Ao lado do ministro da Educação, Aloízio Mercadante, a presidenta afirmou que, com o Pronatec, o governo está ampliando a competitividade do Brasil.

“Estamos hoje aqui criando não só um caminho de oportunidade para milhões de brasileiros e brasileiras, estamos criando um caminho para o próprio País. O País precisa desse investimento para ultrapassar, não só esse momento e voltar a crescer. Mas, quando voltar a crescer, voltar sempre com melhor qualidade, com maior capacidade de inovação. É isso que nós queremos: mais e melhor”, destacou.

De acordo com Dilma, o Pronatec, criado por ela em 2011, tem ajudado o Brasil a superar a histórica falta de investimento em educação técnico-profissional. “Eu acredito que o Pronatec é uma conquista e uma realização de sucesso no Brasil. Nós decidimos que investir em educação técnico-profissional era uma exigência. Uma exigência para que o País pudesse ter uma nova característica no próximo ciclo econômico, lá em 2011 ainda”, recordou.

Nós acreditávamos que muito dificilmente a expansão da economia internacional continuaria, pelo contrário. Vínhamos de uma crise grave no mundo e reconhecemos a importância de o Brasil ter competitividade, ser capaz de produzir mais e melhor, pagar mais e melhor seus trabalhadores. E, sobretudo, se qualificar por uma nova fase em que a presença da inovação e da qualificação profissional fossem o principal instrumento pelo qual o País cresceria”.

Novidades
De 2011 a 2015, o programa teve mais de 9 milhões de matrículas. Além da meta de ter 2 milhões de inscritos em 2016, a nova fase do Pronatec, lançada hoje, terá 372 mil vagas para estudantes do EJA, pessoas com mais de 18 anos que não terminaram o ensino fundamental ou o médio. A presidenta anunciou que o Ministério da Educação vai criar uma espécie de roteiro curricular, para que todos os cursos já feitos pelos estudantes possam ser aproveitados nos cursos subsequentes.

Além disso, será associada a qualificação profissional às aulas do fundamental e médio. Pelo menos 25% das matrículas de jovens e adultos, nos ensinos fundamental e médio, serão vinculadas à educação profissional.

O MEC também fará parcerias com TVs públicas para oferecer cursos técnicos em  uma plataforma on-line de qualificação profissional. Os estudantes do programa também poderão optar pelo e-Pronatec, que permite estudar à distância, de acordo com a própria disponibilidade, por meio de plataformas digitais, simuladores, animações e outros métodos de aprendizagem na internet, na TV Escola e em demais canais educativos, ofertados principalmente pelos institutos federais e pelo Sistema S (Sesc, Senat, Senai, Senac e outros).

A presidenta Dilma destacou ainda que todas essas modificações visam elevar a capacidade produtiva dos brasileiros e do Brasil, especialmente nas áreas de tecnologia e inovação, que constam do decreto assinado hoje. “Implantamos esse programa baseados em dois caminhos que convergiam para um caminho único de oportunidade: primeiro, o reconhecimento que não era mais possível que o ensino médio no País não tivesse, associado a ele, um curso profissionalizante, um curso técnico. Segundo, o fato que deveríamos, também, trilhar o caminho da formação profissional para os trabalhadores e as trabalhadoras do nosso País que já tinham atingido a idade do trabalho e queriam novamente o acesso à uma melhoria profissional. O Pronatec é um caminho de oportunidade e esperança de criar para todos um Brasil muito melhor”, concluiu.

Sobre o Pronatec
Em geral, são oferecidos pelo Pronatec dois tipos de formação: cursos técnicos de maior duração, que variam de um ano e meio a dois anos, e cursos de qualificação profissional de curta duração, que vão de dois a três meses até seis meses.

Todos são gratuitos e o aluno ganha a matrícula, os livros, o uniforme, o material para usar nas aulas práticas e até auxílio para alimentação e o transporte. Os cursos são divididos principalmente nas áreas da indústria, comércio, agricultura e transportes. Dos beneficiados do Pronatec, 70% são jovens com até 29 anos, 60% são mulheres e um terço das matrículas é no Nordeste.

Fonte> Blog do Planalto - Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Comente esta notícia