Pronaf oferece descontos em 16 produtos

Notícia postada em 12/07/2015 14:07

Os agricultores familiares terão descontos no pagamento do financiamentos para a produção dos itens levantados pela Conab.

Agricultores familiares que acessaram o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para produzir raiz de mandioca, feijão, castanha de caju e outras 13 culturas terão descontos no pagamento dos financiamentos. Os produtos tiveram valor de mercado abaixo do preço de garantia (definido com base no custo de produção) do Programa de Garantia de Preços da Agricultura Familiar (PGPAF). A lista completa está disponível no Diário Oficial da União.

Os descontos foram determinados para as seguintes culturas: açaí, algodão em caroço, babaçu (amêndoa), banana, borracha natural cultivada, cacau (amêndoa), cana de açúcar, castanha de caju, feijão, leite, maracujá, milho, raiz de mandioca, sorgo, trigo e triticale.

A raiz de mandioca, por exemplo, tem desconto de 51,81% no Espírito Santo, e o feijão está com bônus de 27,38% em Tocantins. Já a castanha de caju apresenta 17,54% no Maranhão.

A dedução vale para o período de 10 de julho a 9 de agosto de 2015, com referências nos preços praticados no mercado em junho de 2015. O bônus é calculado mensalmente pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e divulgado pela Secretaria da Agricultura Familiar (SAF/MDA). A Conab faz um levantamento nas principais praças de comercialização dos produtos da agricultura familiar e que integram o PGPAF.

Cesta de produtos

Agricultores familiares que têm parcelas de operações de investimento do Pronaf terão desconto correspondente à média dos bônus do feijão, leite, mandioca e milho (cesta de produtos), concedidos mensalmente pelo Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar (PGPAF).

Neste mês de julho, 12 estados terão bônus com base na cesta de produtos. São eles: Bahia (0,55%), Maranhão (0,28%), Sergipe (1,92%), Rio Grande do Norte (0,12%), Pará (2,21%), Tocantins (6,85%), Mato Grosso do Sul (5,56%), Espírito Santo (12,95%), São Paulo (5,69%), Rio Grande do Sul (0,35%), Santa Catarina (2,32%) e Paraná (3,50%).

Foto: Albino Oliveira/MDA

Fonte: Ministério do Desenvolvimento Agrário

Comente esta notícia