Projeto do ME abre inscrições para iniciação esportiva no Parque Olímpico

Notícia postada em 10/07/2017 19:31

Cerca de 500 crianças e adolescentes do Rio de Janeiro vivenciaram pela primeira vez, neste sábado (08.07), a experiência de visitar uma instalação olímpica. No vão central do Velódromo, no Parque Olímpico da Barra (Rio de Janeiro), eles participaram de oficinas e assistiram a demonstrações esportivas de jiu-jitsu, judô, muay thai, taekwondo, caratê, tênis de mesa e ciclismo de pista.

O president da AGLO, Paulo Márcio; o secretário Leandro Fróes; o lutador José Aldo; o ministro do Esporte, Leonardo Picciani; e o professor de futevôlei Anderson Águia falaram para centenas de crianças e jovens neste sábado. Foto: Francisco Medeiros/ME

Em uma ação conjunta da Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social (SNELIS) do Ministério do Esporte, a Universidade Federal Fluminense (UFF) e a Autoridade de Governança do Legado Olímpico (AGLO), algumas dessas modalidades – e ainda futebol, vôlei e basquete - serão oferecidas para 450 crianças e jovens de 6 a 21 anos de áreas de vulnerabilidade social. As inscrições podem ser feitas a partir das segunda-feira (10.07) no Velódromo. Veja mais informações na imagem abaixo

 
“As modalidades serão oferecidas de segunda a sexta, sempre no contraturno escolar. Nos finais de semana, teremos atividades lúdicas e recreativas – e a intenção é, no futuro, termos competições também”, explica o secretario nacional de Esporte, Lazer, Educação e Inclusão Social, Leandro Fróes. “Podemos ter dezenas de eventos com atletas olímpicos aqui, mas são eventos como esse, repleto de crianças, que trazem vida, luz e cor ao Parque Olímpico”, completou o secretario.
 
“Vocês terão a chance de treinar em equipamentos de padrão internacional. Em competições, verão de perto seus ídolos e, quem sabe, até treinarão com eles. Temos certeza que alguns de vocês seguirão a vida esportiva”, disse o ministro do Esporte, Leonardo Picciani, aos futuros atletas presentes ao Velódromo Olímpico neste sábado. “No entanto, mais importante ainda, é que todos vocês levem, para o resto da vida, os valores do esporte, o jogo limpo, a perseverança e a luta diária para se tornarem cidadãos melhores”, acrescentou Picciani.

Bicicletas

A Confederação Brasileira de Ciclismo doou 20 bicicletas que serão utilizadas para iniciação no ciclismo de pista. “O Velódromo Olímpico será um centro de desenvolvimento do ciclismo no Brasil, que estamos chamando de Polo Rio”, contou o presidente da entidade, José Luiz Vasconcelos, enquanto atletas mais experientes e iniciantes utilizavam a pista da instalação.
 
Quem também esteve presente e atraiu a atenção dos jovens praticantes de artes marciais foi o campeão da categoria peso-pena do UFC, José Aldo. “Essa iniciativa de ter o parque olímpico aberto às lutas é um incentivo importantíssimo para nosso esporte. Aproveitem as oportunidades que tiverem e acreditem nos seus sonhos”, disse o lutador de MMA. 

Futevôlei 
 
Além de técnica e força no octógono, José Aldo mostrou que também tem domínio de bola ao participar de um evento de confraternização do Projeto Social Team Águia, realizado na área externa do Centro Olímpico de Tênis. Ao lado do ex-jogador de futebol Lira, que já atuou pelo Fluminense, Vasco, Flamengo e Grêmio, o lutador mostrou desenvoltura na areia.

"Nosso objetivo é apresentar o futevôlei para o público do Parque Olímpico e, também, poder trazer as crianças e adolescentes das comunidades vizinhas, como Cidade de Deus, Gardênia e Curicica”, explicou o professor de futevôlei Anderson Águia. “Realizamos 60 partidas aqui e mostramos que o local pode receber, além do vôlei de praia, o futevôlei e outros esportes na areia”, finalizou.  

 

Abelardo Mendes Jr - Ministério do Esporte

Comente esta notícia