Produtores de hortaliças e frutas orgânicas visam expansão da produção

Notícia postada em 15/10/2016 18:22

A Associação de Produtores e Produtoras Rurais da Comunidade de Campo Limpo (Aprocamp), de Santo Antonio do Tauá, no nordeste paraense, trabalha com hortaliças e frutas orgânicas certificadas pelo Instituto de Biodinâmica (IBD), uma empresa que desenvolve atividades de inspeção e certificação agropecuária, de processamento e de produtos extrativistas, orgânicos, e biodinâmicos do mercado justo (Fair Trade).

A Aprocamp é uma das organizações sociais assistidas no município pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater-Pará) e na próxima segunda-feira (17) representantes do Banco do Brasil farão uma visita à comunidade de Campo Limpo, com apoio técnico e operacional da Emater, para avaliarem a viabilidade de aumentar a produção desenvolvida pelas 12 famílias de pequenos produtores que trabalham na Aprocamp. Juntas elas produzem cerca de 36 mil maços de hortaliças por semana, ou seja, cerca de 3 mil maços semanais de hortaliças por família.

Os agricultores familiares do município já possuem certa tradição na produção com a utilização de biofertilizante. A Emater desenvolve um projeto que inicialmente selecionou 18 comunidades olericultoras e fruticultoras, divididas em cinco polos, com cinco Unidades Demonstrativas. Desde então, difunde a prática junto a olericultores e fruticultores locais, através de trabalho interdisciplinar.

O técnico em agropecuária Ailson dos Santos Cardoso coordena a ação local. Ele falou que o projeto contempla várias metodologias com acompanhamento permanente. Informa também que alguns produtores já são certificados por produzirem orgânicos, e os que ainda não o fazem podem aderir a qualquer momento.

Segundo ele, a adesão aos tratos naturais tem alcançado resultados positivos, entre eles; a queda na invasão de pragas, diminuição de perdas e aumento da produção e produtividade, bem relevantes para a comercialização dos produtos em Belém (cuja demanda exige cada vez mais produtos certificados organicamente).

Fonte: Agência Pará - por Edna Moura

Comente esta notícia