Produção brasileira de petróleo cresce 6,2% entre maio de 2014 e 2015

Notícia postada em 15/06/2015 11:32

A produção brasileira de petróleo e gás natural em maio, de 2,766 milhões de barris equivalentes por dia (Boed), cresceu 6,2% em comparação ao mesmo mês do ano passado (2014), quando foram produzidos 2,605 milhões de barris.

O volume inclui não apenas o volume produzido no país (de 2.574 milhões boed) como também no exterior. Dois recordes mensais do pré-sal foram também anunciados pela Petrobras na sexta-feira (12).

A produção operada pela petrolífera estatal no período registrou crescimento de 1,6% em relação a abril (de 715 mil barris) e chegou a 726 mil barris por dia (bpd). É o maior nível já alcançado pela Petrobras e suas parceiras de operação.

A parcela própria (sem parceiros) da produção também alcançou nova marca – 519 mil bpd, volume 3,2% maior que o patamar de abril, de 503 mil bpd.

Leilão – O mercado petrolífero nacional disponibilizará 266 novos blocos para exploração ainda este ano, com o anúncio de uma nova rodada de licitações agendada pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) para 7 de outubro.

O edital será publicado em 6 de agosto, após audiência pública marcado para 9 de julho. A cerimônia de assinatura dos contratos de concessão está programada para 23 de dezembro.

O pré-edital já está nas ruas e abrange 10 bacias sedimentares (Amazonas, Parnaíba, Potiguar, Recôncavo, Sergipe-Alagoas, Jacuípe, Camamu-Almada, Espírito Santo, Campos e Pelotas).

De acordo com a agência, as áreas disponibilizadas têm elevado potencial, pois se localizam em novas fronteiras exploratórias e em bacias “maduras”.

Outras 11 áreas inativas devem ser disponibilizadas em uma segunda etapa nas bacias do Recôncavo, Tucano Sul, Paraná, Barreirinhas, Potiguar e Espírito Santo.

A taxa de participação, a ser paga pelas empresas interessadas no edital, variam de R$ 32,5 mil a R$ 206 mil por bloco, enquanto a participação com oferta de lance no leilão vai requerer garantias de R$ 142,5 mil a R$ 1,656 milhão, conforme a bacia petrolífera.

Para participar será exigido patrimônio líquido mínimo de R$ 122 milhões dos grupos interessados em águas ultraprofundas, profundas e áreas terrestres, R$ 67 milhões em águas rasas e áreas terrestres, e R$ 4,5 milhões em áreas terrestres.

Fonte: Agência PT 

Comente esta notícia