Partido dos Trabalhadores tomará 'providências judiciais cabíveis' contra Gilmar Mendes, afirma Rui Falcão

Notícia postada em 21/09/2015 17:24

Em editorial semanal da Agência PT de Notícias, o presidente Nacional do PT, Rui Falcão, informa que a legenda tomará as providências judiciais cabíveis contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes que usou e abusou de impropérios contra o Partido dos Trabalhadores no seu voto sobre o fim do financiamento empresarial de campanha .

Sobre a decisão do pleno do STF, pelo fim da modalidade, Rui Falcão diz que “o PT, que sempre combateu a influência do poder econômico nas eleições e é favorável ao financiamento público, saudou a manifestação do STF também porque ela fecha uma das portas para a ação de corruptos e corruptores na política. Mas não queremos parar por aí: continuamos a defender uma reforma política mais ampla, através de uma Assembleia Constituinte, convocada especificamente para esta finalidade”, diz o texto.

Leia a íntegra:

“A palavra do presidente: A decisão do STF e os impropérios de Gilmar

Foi uma decisão histórica a proibição, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), do financiamento empresarial de candidatos e partidos nas eleições.

Como se sabe, foi a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) quem provocou a Suprema Corte, através de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI), cujo julgamento, por 8 votos a 3, demorou meses, sobretudo porque o ministro Gilmar Mendes pediu vistas do processo e o reteve por mais de ano.

O PT, que sempre combateu a influência do poder econômico nas eleições e é favorável ao financiamento público, saudou a manifestação do STF também porque ela fecha uma das portas para a ação de corruptos e corruptores na política.

Mas não queremos parar por aí: continuamos a defender uma reforma política mais ampla, através de uma Assembleia Constituinte, convocada especificamente para esta finalidade.

Tramitam no Congresso uma lei e uma Proposta de Emenda Constitucional que consagram o financiamento empresarial. Embora haja o entendimento do STF de que ambas não devem prosperar após a decisão jurídica (porque ferem cláusula pétrea da Constituição), é importante que a presidenta Dilma vete a primeira e que o Senado derrote a segunda.

P.S: Para quem se indignou com os impropérios do ministro Gilmar Mendes, cuja resposta pode ser lida no nosso site, informo que esta semana vamos tomar as várias providências judiciais cabíveis para responsabilizá-lo.

Fonte: Agência PT - por Rui Falcão é presidente nacional do PT”

Comente esta notícia