Objetivo do brasileiro é ganhar ritmo de jogo e defender a sua vaga olímpica no sabre para os Jogos do Rio 2016

Notícia postada em 30/01/2015 00:52

O esgrimista Renzo Agresta, que recebe o apoio financeiro do programa Bolsa-Atleta do Ministério do Esporte, está em Roma, na Itália, treinando com a seleção italiana, uma das mais fortes do mundo.

O objetivo do brasileiro é ganhar ritmo de jogo e, a partir de abril, com a disputa do Pan-Americano de Esgrima de Santiago, no Chile, defender a sua vaga olímpica no sabre para os Jogos do Rio 2016. 

A estreia de Renzo Agresta na fase de preparação para a temporada de 2015 será neste fim de semana no Troféu Luxardo, em Pádua.

Na sequência, o atleta disputará o Sabre de Wolodyjowski, em Varsóvia, na Polônia, dias 20 e 21 de fevereiro, e o Grand Prix de Seul, Coreia do Sul, de 28 e 29 de março, todos preparatórios para o Pan-Americano de Esgrima, em Santiago, no Chile, de 17 a 26 de abril.

“É muito importante, para a pontuação no ranking, o Renzo ir bem nessa competição”, enfatiza o técnico Alkhas Lakerbai. “Se o Renzo vence o Pan, que vale muitos pontos, fica com a vida facilitada para o restante da temporada”, acrescenta Agresta. 

O atleta, que abriu a temporada de 2014/2015 em outubro, com o oitavo título brasileiro no sabre, deu apenas uma pausa de duas semanas nos treinos com arma, para as festas de fim de ano.

“Foi bom porque continuei em forma, fui na nutricionista e estava tudo certo com o peso. A intenção era essa, dar uma parada para o corpo e a mente descansarem, mas sem perder a forma física”, disse Agresta.

Seu objetivo ao treinar com a seleção italiana é ter mais atletas, com alto nível técnico, para trabalhar e ganhar ritmo. “Estando no dia a dia da seleção italiana posso conseguir isso”, afirmou o atleta. 

Para a esgrima, vale a pontuação no ranking, de abril de 2015 a abril de 2016. Renzo é 18º no ranking mundial e 13º no olímpico, considerando que apenas dois atletas por país podem competir nos Jogos do Rio 2016.

“Quem mais tiver pontuação no ranking mundial, dois por país, se classifica. O Brasil tem vaga garantida, como país-sede. Se formos considerar os últimos Jogos, serão oito vagas. Mas vou tentar pelo ranking”, disse Agresta. 

Renzo disse que a esgrima do Brasil está melhorando, com mais investimentos, mas é uma evolução gradual. “Se houver a manutenção do nível de investimento acho que poderemos evoluir mais. A estrutura, em um clube como o Pinheiros, é até melhor do que a que eu encontro na Itália, com o Centro de Integração de Apoio aos Atletas, com nutricionista, fisiologista, etc. O que é melhor na Itália é o número de atletas com quem eu posso praticar e a logística – as competições estão por lá e é mais fácil o deslocamento, sem precisar de adaptação a fuso horário.” 

Foto: Renzo Agresta realiza treinamento na Itália - Divulgação/ME

Fonte: Ministério do Esporte

Comente esta notícia