No show dos Titãs, Paulo Miklos faz defesa da ordem democrática

Notícia postada em 15/08/2015 19:18

Pequeno coro vindo de um camarote tentou inflar a plateia com gritos de ódio contra Dilma. Além de não ganhar aderência do público, o grupo ainda acabou constrangido com a resposta do vocalista da banda.

No último sábado (8), no show da banda Titãs em Cuiabá, capital mato-grossense, o vocalista Paulo Miklos conclamou a plateia a defender a ordem democrática.

“Vamos manter a ordem democrática! Lutamos por isso, democracia acima de tudo!”, falou ao microfone.

O fato aconteceu depois de um pequeno grupo ensaiar um coro vindo de um dos camarotes contra a presidenta Dilma Rousseff. O grupo tentou, mas não conseguiu convencer o conjunto e nem o restante da plateia a aderir ao seu “Fora, Dilma”.

Segundo relato do blogueiro Fábio Ramirez, que estava no show, a plateia era relativamente elitizada e destoava muito do público comumente visto em apresentações de rock.

Ramirez contou que parte desse público que estava no camarote resolveu se manifestar com gritos contra a presidenta, depois que Os Titãs terminaram de tocar a música ‘Fardado’. A canção foi lançada em 2014 e inspirada na violência policial deflagrada nas jornadas de junho de 2013.

A banda fez, então, uma pequena pausa e, como resposta, executou a música ‘Desordem’. “Decidimos tocar essa música, que não tocamos desde 87, porque ela está muito atual”, antecipou o vocalista Paulo Miklos antes de começar a canção que questionava: ‘Quem quer manter a ordem? Quem quer criar desordem?’.

O grupo do camarote, talvez por não ter entendido o recado, puxou novamente o grito de protesto, mas dessa vez Miklos foi mais direto, constrangendo a minoria que tentava inflamar o ódio na apresentação, afirmando que a ordem democrática deveria ser mantida.

Fonte: Agência PT de Notícias, com informações da Revista Fórum

Foto: Léo Motta/ PCR

Comente esta notícia