'Não descansarei enquanto não recuperar a dignidade do povo brasileiro'

Notícia postada em 21/08/2017 19:19

“Minha vida é andar por esse País, para ver se um dia eu descanso feliz”. Com a música de Luiz Gonzaga, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva passou pela cidade de Nossa Senhora da Glória, no interior do Sergipe, nessa segunda-feira (21).

Presenteado com um gibão e um chapéu de couro sertanejo, que foi entregue a Lula por um vaqueiro de mais de 90 anos, o ex-presidente cobrou que os brasileiros tenham acesso à “transmissão” dacultura dos quatro cantos do Brasil.

A defesa foi feita pelo ex-presidente enquanto ele fazia duras críticas ao compartilhamento cultural feito pela mídia. “Seria interessante que o Brasil conhecesse a história e a bravura do povo de Glória. Alguém sabe que isso aqui é a primeira bacia leiteira do estado? As pessoas só conhecem a Dança dos Famosos. Não há reciprocidade na transmissão da cultura desse país”, disse.

Ele voltou a explicar o objetivo da caravana Lula pelo Brasil e a intenção de ouvir os brasileiros, para conhecer de perto os problemas que o povo tem vivido.

“A única coisa que eu posso dizer para vocês é que eu decidi fazer uma outra Caravana da Cidadania, transformada numa caravana que não tem nome. Porque eu resolvi andar? Porque eu fiz uma caravana em 1992, eu percorri 91 quilômetros no Brasil, fiz de ônibus, carro, trem e de barco. Por que que eu fiz com a caravana? Quando você é político, o máximo que você conhece são aeroportos. As pessoas terminam não conhecendo o Brasil”, contou o ex-presidente.

“Viajei, perdi eleições. Eu estava cansado de perder eleição. Eu ganhei uma eleição e o sucesso do nosso governo foi fazer apenas o óbvio, é aquilo que todo mundo sabe que tem que fazer. Tem gente que acha que o óbvio é governar para 35% da população, ou para o mercado, para os mais ricos, só para latifundiário”, completou o ex-presidente.

Lula ainda falou sobre uma possível candidatura em 2018 e reforçou: “nem sei se eu posso ser candidato”. “Se eu for escolhido, eu vou ganhar e vou fazer mais do que eu fiz no primeiro mandato. Eu vou provar”.

Além disso, o ex-presidente criticou a proposta feito pelo governo golpista de Michel Temer, nesta segunda, de privatizar a Eletrobras. “Eu acabei de saber uma notícia que o Temer acabou de anunciar a venda da Eletrobras. Eu preciso provar para essas pessoas que a gente não tem que fechar indústria naval, a gente tem é que criar vergonha na cara e trabalhar, porque esse país pode ser muito melhor e não pode continuar com o complexo de vira-latas”.

Por isso, reforçou Lula, é preciso definir, assim que a eleição é ganha, de que lado está. “Eu sempre faço analogia da política com futebol. Na política vc tem que dizer de que lado está. Eu nunca tive medo de dizer que sou presidente de todos, mas todo mundo tem que saber que meu jeito de governar é como funciona um coração de mãe”.

“O governo tem que governar para todos, mas mais para as pessoas que mais necessitam”.

Sonhos e esperança

Tema recorrente nos discursos do ex-presidente, que gostaria de ter colocado o nome do projeto Lula pelo Brasil de Caravana da Esperança, os sonhos e a esperança também foram mencionados durante o ato em Nossa Senhora da Glória.

“Um ser humano não consegue viver se não tiver sonho e esperança. Cabe ao estado brasileiro garantir que as pessoas não tenham seus sonhos frustados e não deixem de ter esperança. É por isso que eu fui o presidente que mais fiz universidades e escolas técnicas nesse País. Porque eu queria que as crianças humildes tivessem aquilo que eu não tive a oportunidade para provar que não é nascendo em berço de ouro que faz ir para frente”.

o brasil dos ricos não precisa de governo, quem precisa é o povo que trabalha, que está desasistido. nós vamos nos manter tranquilos, sem raiva, vamos ficar pacientemente convesando com o povo. eu tive o prazer de ter vcs, se o povo não tivesse a compreensão que teve comigo, não sei se eu tivesse tido sucesso. a compreensão da minha mulher. eu me orgulho de ter terminado o meu segundo mandado como o presidente mais bem avaliado de toda a história dos países do mundo.

A transformação de Sergipe com Lula

O prefeito de Glória, Chico do Correio, também falou no ato. Para ele, em 20 anos, será possível ver o resultado da transformação feita pela construção de uma universidade na região. “Antes, só podia estudar o filho de quem tinha mais condição”, afirma.

O deputado João Daniel (PT-SE) lembrou que a região tem obras que marcam a presença dos governos de Lula e Dilma. “A pauta do sertão deixou de ser fome, miséria e seca e passou a ser luta por políticas públicas, universidades, institutos federais, pela juventude ter acesso a melhores condições de vida”, afirmou.

Já Rogério Carvalho, presidente do PT de Sergipe, afirmou que com o governo golpista, o país voltou a ter uma elite que só tem preocupação com o dinheiro. “Eu quero dizer aos companheiros e companheiras que a luta que fez o mundo mudar, a gente se civilizar”, afirmou. Segundo Carvalho, Lula se dedicou à defesa da vida do povo brasileiro. “Porque quando faz o maior programa de distribuição de renda do mundo e leva comida para a mesa, está defendendo a vida, quando cria o SAMU, o Minha Casa, Minha Vida, o Farmácia Popular, está defendendo a vida”, diz.

O vice-presidente do PT Nacional Marcio Macedo acredita que os adversários estão com medo do Lula Pelo Brasil. “Isso é uma tradição do PT e de Lula, ele fez isso na década de 70, 80, 90, nos anos 2000, foi um presidente andarilho, vendo sua gente e seu povo”, disse ele. Segundo Marcio, que coordena o projeto Lula Pelo Brasil, a ideia é fazer um diagnóstico do país, ver como estão as políticas públicas, ouvir as pessoas.

O governador do Sergipe Jackson Barreto também esteve presente no ato.

Fonte: Agência PT de Notícias - por Clarice Cardoso/Foto: Ricardo Stuckert

Comente esta notícia