Na entrega de estação na Barra, secretário de Transportes garante Linha 4 para os Jogos

Notícia postada em 30/06/2016 22:24

Uma das extremidades da Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro, a  Estação Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca, foi entregue nesta quinta-feira (30.06). Após circular pela nova estação com a imprensa, o secretário estadual de Transportes, Rodrigo Vieira, garantiu que a obra estará pronta para a operação nos Jogos Rio 2016.

São necessários R$ 500 milhões para a finalização do chamado “trecho olímpico” da linha, que inclui as estações Nossa Senhora da Paz (já entregue), Jardim de Alah, Antero de Quental, São Conrado (já entregue) e Jardim Oceânico (entregue nesta quinta). O secretário explicou que os recursos virão de reorganização das finanças do tesouro estadual, após a chegada do socorro financeiro de R$ 2,9 bilhões do governo federal para ações de segurança.

“O governador ontem à noite me garantiu que haverá recursos para a Linha 4. A Medida Provisória que foi assinada ontem pelo presidente (Michel Temer) encaminhará recursos para o Rio e o governador, junto com o secretário de Fazenda, irão fazer um rearranjo das finanças estaduais e direcionar recursos do Tesouro Estadual para que a Linha 4 seja finalizada”, disse.

“São necessários cerca de R$ 500 milhões para o trecho olímpico, sendo que R$ 350 milhões já foram executados, medidos e fiscalizados, e serão pagos imediatamente. Os outros R$ 150 milhões são para obras de reurbanização dos entornos das estações, asfaltamento, iluminação, requalificação de praças e calçadas. A obra metroviária já acabou. Os trens já estão circulando de noite”, acrescentou Rodrigo Vieira.

Plano de Políticas Públicas

A Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro  é uma obra do governo do estado que integra o Plano de Políticas Públicas para o legado dos Jogos Rio 2016. O investimento total é R$ 9,77 bilhões. Desse valor, 6,6 bilhões vieram de financiamento federal via Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Outros R$ 989 milhões foram pedidos ao banco para a reta final da obra, mas o dinheiro não chegou a ser liberado pelo Tesouro Nacional em função da inadimplência do estado do Rio. Desses R$ 989 milhões necessários, R$ 500 milhões são para o trecho olímpico e garantidos pelo governo estadual, conforme explicado por Rodrigo Vieira. Os outros R$ 489 milhões ainda precisam ser viabilizados para a finalização da estação Gávea, que tem previsão de entrega para dezembro de 2017. “Dependeremos de recursos para finalizar a estação Gávea após as Olimpíadas. Ela está com 42% de finalização e falta escavar 1,2km de trilhos”, detalhou o secretário.

Estação Jardim Oceânico

Com a conclusão das obras civis e serviços de acabamento, a Estação Jardim Oceânico agora passa pela fase de instalação de sistemas e realização de testes operacionais. A estação conta com três acessos na Avenida Armando Lombardi, na Barra, sendo que um deles é essencial para o público olímpico, por estar integrado ao BRT. O torcedor que vier do Centro ou Zona Sul de metrô vai desembarcar na Jardim Oceânico e pegar o BRT que o levará ao Parque Olímpico e demais zonas de competição na Barra.

A estação tem um grande arco sobre o mezanino com cem pontos de captação de luz natural. A construção considerou futuras expansões da linha metroviária sem necessidade de interromper o funcionamento. Com a finalização da Estação Jardim Oceânico, as obras da Linha 4 chegam a 97% de conclusão. A previsão de entrega das duas estações restantes é para julho.

Testes

Os 15 trens adquiridos para a Linha 4 estão circulando. Três estão na nova linha realizando testes noturnos. “Estamos já realizando testes integrados, com o trem circulando, testando energização, sinalização, comunicação. Tudo isso já está sendo transmitido para o Centro de Controle do Metrô Rio, no Centro. A partir de 15 de julho começa a fase que chamamos de ‘marcha em branco’, que tem a função de treinar o operador, os funcionários, a bilheteria, a roleta”, explicou Rodrigo Vieira. “Os testes são suficientes e são homologados internacionalmente”, acrescentou.

Cronograma

O secretário também explicou o cronograma de funcionamento. A nova linha será aberta em 1º de agosto para uso de pessoal credenciado para o trabalho nos Jogos Olímpicos. De 5 a 21 de agosto, período do megaevento, torcedores que apresentem o ingresso e tenham adquirido o cartão olímpico poderão usar a Linha 4. Entre 21 de agosto e 6 de setembro, haverá uma pausa no funcionamento para eventuais ajustes que forem identificados. Em 7 de setembro, data da abertura dos Jogos Paralímpicos, a nova linha volta a funcionar para os torcedores com ingresso e cartão olímpico até o fim do evento, em 18 de setembro.

“A partir de 19 de setembro, a Linha 4 estará aberta à população das 11h às 15h, e o horário será expandido gradativamente. Começaremos com seis trens e com intervalos de oito minutos durante os Jogos Olímpicos, e conforme o intervalo for diminuído, outros trens serão acrescentados. A expectativa é de que, até o fim do ano a linha esteja 100% operacional no horário normal de funcionamento com os 15 trens”, disse Rodrigo Vieira.

Quando estiver em plena capacidade, a Linha 4 vai transportar mais de 300 mil pessoas por dia, retirando das ruas cerca de 2 mil veículos por hora/pico. Serão necessários 13 minutos para ir da Barra a Ipanema, e 30 minutos para o trajeto Barra-Centro. O passageiro que acessar a Linha 1 ou a Linha 2 poderá andar na Linha 4, e vice-versa, pela mesma tarifa.

Metrô nos Jogos Olímpicos:

De 1 a 4 de agosto
. Linha 1: de 5h a 0h
. Linha 2: de 5h a 0h
. Linha 4: de 6h às 23h

De 5 a 21 de agosto
. Linha 1 (dias úteis e sábados: de 5h a 1h30/domingos e feriados: 6h30 a 1h30)
. Linha 2 (dias úteis e sábados: de 5h a 0h / domingos e feriados: 7h a 0h). Linha 4 (dias úteis e sábados: de 6h a 1h / domingos e feriados: de 7h a 1h)

Extensão de horário adicional
. Dias 5 e 21 de Agosto, todas as linhas (1, 2 e 4) funcionarão até as 2h.
. Dias 6, 12 e 13 as linhas 1 e 4 funcionarão até as 2h.

Fonte: brasil2016  por Carol Delmazo  Foto: Carol Delmazo

Comente esta notícia