Movimentos defenderão controle social da água em fórum alternativo

Notícia postada em 23/02/2018 19:00

Com o objetivo de fazer um contraponto ao Fórum Mundial da Água, trabalhadores e trabalhadoras de mais de 20 entidades populares e sindicais do Brasil e do mundo realizarão o Fórum Alternativo Mundial da Água, que acontecerá em Brasília, entre os dias 17 e 22 do próximo mês.

Com o tema “a água é um direito e não mercadoria”, os principais objetivos do Fórum Alternativo são construir uma aliança de resistência e organizar uma agenda de lutas contra as privatizações e a mercantilização da água.

“A participação de diversos movimentos sociais significa um processo de resistência contra as diversas formas de privatizações que este governo golpista tem imposto, como a privatização do setor elétrico, de saneamento e dos postos de fornecimento de energia da Petrobras”, explicou Daniel Gaio, secretário Nacional de Meio Ambiente da Central Única dos Trabalhadores (CUT).

O programa de privatizações e concessões do governo Temer envolve quase 60 projetos, entre eles, a venda de parte da Eletrobrás e da Petrobrás.

O Fórum também será palco de debates sobre a defesa dos povos atingidos, saneamento e as políticas públicas necessárias para o controle social do uso da água, além de uma preservação ambiental que garanta o ciclo natural desse recurso em todo o planeta.

Gilberto Cervinski, do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), destaca que o Brasil tem as maiores reservas de água doce do mundo, visadas em um momento de crise mundial do capitalismo na qual há um avanço sobre os recursos naturais.

“O Fórum Mundial da Água reúne as transnacionais e os banqueiros do mundo inteiro. O objetivo é estabelecer a propriedade privada sobre a água para que os diferentes ramos de negócios relacionados sejam dominados pelo capital para gerar lucro e acumulação. O Fórum Alternativo é a oposição a isso”, explica.

Acesso como garantia constitucional

Jorge Viana (PT-AC), escolhido pelo Senado para ajudar na organização do Fórum Mundial da Água, evento que também ocorre em Brasília, apresentou projeto para assegurar aos cidadãos brasileiros o acesso à água como um direito fundamental, algo recomendado pela Organização das Nações Unidas (ONU) ao mundo inteiro.

“O fórum é uma oportunidade fantástica que temos. Água é um elemento sinônimo de vida. Sem a água não há vida”, destacou o senador, explicando que o projeto seria um dos legados do evento.

Fonte: PT no Senado/Foto: Agência Brasil

Comente esta notícia