Ministro participa de Ato Público em Defesa dos Alimentos Saudáveis

Notícia postada em 26/10/2015 10:41

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, participou nessa sexta-feira (23) do Ato Público em Defesa dos Alimentos Saudáveis, durante a 1ª Feira Nacional da Reforma Agrária, no Parque da Água Branca, na capital de São Paulo. “Precisamos conciliar uma agricultura que produza muito, em qualidade e quantidade, para promover a saúde das pessoas com a preservação da biodiversidade, das bacias hidrográficas e dos ecossistemas”, alertou Patrus.

O ministro propôs uma reflexão sobre a relação da humanidade com a terra. “A terra não pode ser meramente um bem de mercado. É da terra que brota a água, é da terra que vem a nossa alimentação, é na terra que são sepultados os nossos antepassados, é na terra que camponeses e camponesas depositam esperanças de dias melhores para seus filhos e para as gerações futuras. A terra é um bem público, diz respeito a todos nós”, afirmou.

João Pedro Stédile, da diretoria nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), falou sobre o compromisso da reforma agrária com a produção de alimentos saudáveis para o país. “A reforma agrária começa com a distribuição de terra, mas agora ela vai mais longe.”

Um milhão de tonelada de agrotóxicos, por ano, é despejada nas lavouras brasileiras, segundo Luiz Carlos Meireles da Campanha Contra o Agrotóxico pela Vida.

Qualidade e quantidade

“Mulher bonita não paga, mas também não leva”. O clima é realmente de feira. Corredores lotados e produtores disputando clientes. Mas a 1º Feira Nacional da Reforma Agrária tem um diferencial que agrada os consumidores mais exigentes: alimentos orgânicos, produzidos sem nenhum tipo de agrotóxico.

“Quero comprar de tudo. Estou levando abacaxi, pimenta e abóbora para cozinhar e comer com açúcar. Minha mãe adora.”, conta a aposentada Ercília Cardoso, 60 anos. “Como não tem veneno, chego em casa, nem lavo ou deixo de molho. Só descasco. É uma maravilha!”, comemora.

Produtor do Assentamento Nilton Santos (antiga Fazenda Varese), em Atalaia (AL), José Cícero Santino, 52 anos, viajou mais de dois mil quilômetros para comercializar inhame, abacaxi e banana na feira. “Estreitar essa relação com os consumidores é muito bacana. Antes a nossa luta era por terra, agora queremos trabalhar para continuar nela e produzir alimentos saudáveis”, disse.

Fonte e foto: MDA

Comente esta notícia