Ministro francês se solidariza com tragédia em Mariana (MG)

Notícia postada em 23/11/2015 18:20

Em visita ao Brasil, o ministro de Assuntos Exteriores e do Desenvolvimento Internacional da França, Laurent Fabius, ofereceu também apoio ao Brasil para garantir a segurança na Olimpíada de 2016.

O ministro de Assuntos Exteriores e do Desenvolvimento Internacional da França, Laurent Fabius, afirmou neste domingo (23), em visita ao Brasil, que o governo francês se solidariza com o desastre causado pelo rompimento de barragens em Mariana (MG), no dia 5 de novembro.

“Estamos solidários a vocês pela catástrofe que houve em Mariana. Sei que teve várias consequências e foi sentido de forma dolorosa, não só aqui, como na França. Estamos junto com vocês para qualquer circunstância”, declarou, após se com a presidenta Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto.

A reunião contou também com a presença dos ministros das Relações Exteriores, Mauro Vieira e Izabella Teixeira, do Meio Ambiente. O objetivo do encontro era tratar da 21ª Conferência do Clima das Nações Unidas (COP 21), que reunirá representantes de 195 países, de 30 de novembro a 11 de dezembro, em Paris.

O principal objetivo da COP 21 é preparar um novo acordo entre os países para diminuir a emissão de gases do efeito estufa, diminuindo o aquecimento global. A intenção é limitar o aumento da temperatura em 2º Celsius até 2100. Segundo Izabella, o Brasil compromete-se com a redução. O compromisso brasileiro foi classificado como ambicioso pelo chanceler francês.

Desastre em Mariana - Na coletiva de imprensa a ministra do Meio Ambiente reforçou o compromisso do governo brasileiro em reverter o desastre ambiental. “Será um trabalho de longo prazo, mas nós devolveremos aos brasileiros a Bacia do Rio Doce recuperada e talvez em melhores condições do que ela está hoje”, declarou.

O rompimento da barragem de rejeitos da Samarco, que tem como acionistas a Vale e a BHP Billiton, criou uma onda de lama que destruiu o distrito de Bento Rodrigues, em Mariana. A lama atingiu outros municípios de Minas Gerais e do Espírito Santo e chegou ao Rio Doce, causando a morte de animais e prejudicando o abastecimento de água. Mais de dez pessoas morreram.

Izabella disse que o impacto está sendo avaliado uma vez que o desastre ainda está em curso. Mais multas poderão ser aplicadas à empresa, e grupos de trabalho avaliam mudanças nas normas e na legislação.

Terrorismo - O ministro francês anunciou também que a França oferecerá apoio para garantir a segurança durante os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Segundo ele, o país transmitirá os resultados das ações que estão sendo tomadas no país e com o próprio serviço de inteligência, para reduzir o risco de ataques terroristas no Brasil.

“O que aconteceu em Paris, infelizmente poderia acontecer em vários países do mundo, uma vez que (os grupos terroristas) estão organizados internacionalmente”, observou Fabius.

“Disse a Dilma Rousseff que estamos à sua disposição”, acrescentou.

 

Fonte: Agência PT de Notícias, com informações da “Agência Brasil”

Comente esta notícia