Lula convoca o PT para o desafio de universalizar a educação de qualidade

Notícia postada em 15/08/2015 09:41

Num ato em prol do cumprimento das metas do Plano Nacional de Educação (PNE), o ex-presidente Lula convocou o PT a se mobilizar para conquistar a universalização do ensino de qualidade. O evento ocorreu nessa sexta-feira (14) em Brasília e contou a participação de milhares de militantes, além de governadores, parlamentares, ministros, gestores públicos e educadores.

“Universalizamos o acesso à escola, e agora temos que universalizar a qualidade da educação. Espero que o dia de hoje seja o ponto de partida de uma série de mobilizações”, afirmou Lula, ao tempo em que propôs que as 20 metas do PNE devem ser divulgadas em cartazes e espalhadas pelas fábricas, ônibus e escolas, para que toda a população fique informada e se engaje na concretização do Plano.

O presidente de honra do PT mencionou diversas conquistas na educação obtidas durante os governos petistas e ressaltou que o Brasil “não nasceu para ser um país atrasado em educação”. Um dos feitos que mais orgulha Lula foi a grande ampliação do número de matrículas no ensino superior na última década, que passaram de 3,5 milhões em 2002 para mais de 7,5 milhões em 2014. “Em 13 anos conseguimos colocar na universidade mais gente do que a elite conseguiu em um século”, destacou Lula.

“A educação é única coisa que garante igualdade de oportunidades entre homens e mulheres, ricos e pobres, brancos e negros. É a chance que a gente tem de se recuperar do atraso dos séculos anteriores”, acrescentou o ex-presidente.

A saída do Brasil do “vergonhoso” Mapa da Fome da ONU foi outro êxito citado por Lula, mas agora a maior tarefa, segundo ele, é acabar com a “fome de conhecimento” que ainda existe no País. “Um governo do PT deve dar exemplo e se engajar ao máximo para cumprir as metas do PNE. Ao defender o PNE e a ‘Pátria Educadora’, estamos defendendo a bandeira do futuro e das conquistas do Brasil”, argumentou Lula, que enviou ao Congresso Nacional, em 2010, o projeto de lei que resultou no atual PNE, sancionado pela presidenta Dilma Rousseff no ano passado.

A senadora Fátima Bezerra (PT-RN) enalteceu a “coragem” da presidenta Dilma Rousseff ao sancionar sem nenhum veto o PNE, inclusive com a ousada meta de alocação de 10% do PIB para a educação. No PNE anterior, a meta proposta era de 7% do PIB, mas mesmo esse índice foi vetado – entre outros itens – pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso.

Outros oradores muito aplaudidos foram o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro. Para Haddad, que também foi titular da pasta de Educação durante o governo Lula, o PNE deve ser um “instrumento de mobilização, até que todos os brasileiros estejam educados plenamente”.

Já o ministro lembrou que a educação “liberta, emancipa, abre os horizontes” e realçou a importância do ensino técnico e profissional, a exemplo do que ocorre em países como Alemanha, Japão e outras nações desenvolvidas. “Tem que acabar a ideia de que a educação profissional é a que se oferece ao pobre para que ele não vá para a universidade”, disse Janine Ribeiro, que apontou como positivo o fato de 80% dos municípios do Brasil estarem cobertos pelo Pronatec.

Confira a íntegra do Plano Nacional de Educação (PNE 2014-2024) e as suas 20 metas:

www.pne.mec.gov.br

PT na Câmara
Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Comente esta notícia