Lista do HSBC inclui artistas, cineastas e escritores do Brasil

Notícia postada em 25/03/2015 20:24

Jô Soares, Claudia Raia, Edson Celulari, Marília Pêra, Maitê Proença e Ricardo Waddington estão na lista do HSBC

A lista de brasileiros com contas secretas no banco do HSBC na Suíça inclui, segundo reportagem publicada pelo jornal “O Globo” nesta segunda-feira (23), artistas, cineastas, escritores e músicos do País.

Entre os nomes divulgados estão o do apresentador da Rede Globo Jô Soares, dos atores Maitê Proença, Marília Pêra, Francisco Cuoco, Claudia Raia e Edson Celulari. Quatro membros da família de Jorge Amado estão na lista do HSBC, além de Tom Jobim e dos irmãos Andrew Waddington (cineasta) e de Ricardo Waddington (diretor da TV Globo). O cineasta Hector Babenco e o publicitário Roberto Medina também têm registros no banco.

No período investigado pelo projeto SwissLeaks, entre 1988 e 2007, a conta de Jô Soares não tinha saldo. Maitê Proença abriu uma conta no banco suíço em 1990 e tinha, em 2006/2007, US$ 585,2 mil. Em conta conjunta, Claudia Raia e Edson Celulari contabilizavam US$ 135,7 mil.

Marília Pêra, segundo os registros, abriu a conta em 1999. Em 2006/2007, ela dispunha de US$ 834 mil no HSBC suíço. As contas da família de Jorge Amado estavam no nome do próprio escritor, falecido em 2001, da esposa Zélia Gattai, morta em 2008, e dos dois filhos, Paloma e João Jorge. De acordo com o banco, a conta da família estava zerada em 2006/2007.

A conta conjunta dos irmãos Waddington também estava zerada em 2006 e 2007.

Em resposta à reportagem do jornal “O Globo”, as celebridades citadas no caso disseram não ter conhecimento sobre qualquer conta no banco suíço. Em outros casos, alguns explicaram ter realizado todas as operações financeiras de forma legal.

Entenda o caso – No início de fevereiro, o Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ), divulgou o projeto SwissLeaks, por meio do qual foram expostos quase 60 mil arquivos com detalhes sobre mais de 100 mil correntistas do HSBC e suas movimentações bancárias, entre 1988 e 2007.

As contas bancárias reveladas somam mais de US$ 100 bilhões depositados em filiais do banco por correntistas ao redor do mundo.

À época, os dados sobre as correntes foram vazados pelo ex-funcionário do banco Herve Falciani. As informações foram entregues por ele a autoridades francesas, em 2008. Com o projeto SwissLeaks, mais de 140 jornalistas em 45 países investigam os nomes envolvidos no caso.

Até o momento, foram descobertas contas secretas, no HSBC da Suíça, de 6,6 mil brasileiros. Estima-se que os depósitos de correntistas brasileiros no paraíso fiscal possa chegar a US$ 7 bilhões.

Fonte: Agência PT de Notícias, com informações do jornal “O Globo”

Comente esta notícia