José Ricardo diz que Reforma Trabalhista e terceirização aumentam o desemprego no País

Notícia postada em 03/04/2019 10:36

A taxa de desemprego no Brasil está na marca dos 12,4%. São cerca de 13 milhões de pessoas desempregadas, quase um milhão nos últimos três meses, além de 27 milhões com mão de obra subutilizadas e quase cinco milhões de desalentados, que acabam desistindo de procurar emprego por não terem perspectivas. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e foram abordados com preocupação e de forma crítica pelo deputado José Ricardo (PT-AM), nesta terça-feira (2), no plenário da Câmara dos Deputados.

“Queria saber onde está o resultado da aprovação da Reforma Trabalhista e da terceirização total. Porque prometeram gerar mais de seis milhões de empregos. Mas, ao contrário disso, geraram quase um milhão de desempregados nos primeiros três meses de 2019. E, agora, tem mais uma ameaça aos trabalhadores. Com a extinção do Ministério do Trabalho, com certeza irá agravar mais ainda o mercado de trabalho, pela falta de fiscalização em relação à desobediência da legislação trabalhista”, declarou José Ricardo.

Ele ainda criticou a paralisação de obras pelo País, já que os empresários da construção civil estão sem receber os recursos do governo federal, resultando em R$ 450 milhões em dívidas e talvez na demissão de mais de 50 mil pessoas nos próximos dias. José Ricardo lembrou que o Programa Minha Casa, Minha Vida, que completa dez anos este ano, gerou mais de 1,2 milhões de empregos na época dos governos de Lula e de Dilma. “É bom lembrar que em dezembro de 2014, ainda no governo da Dilma, foi atingido o menor desemprego da história do País – de 6,4%. E agora mais do que dobrou, sem quaisquer perspectivas. Um governo de desastre e de desemprego”.

Institutos Federais no AM

O deputado José Ricardo apresentou na Câmara Federal a Indicação n. 306/2019, em que solicita ao governo federal, por meio do Ministério da Educação, providências necessárias para instalação de duas novas unidades do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam), nos municípios de Manaus e de Boca do Acre, ambos no Estado do Amazonas. No documento, ele sugere que a unidade da capital seja instalada na zona Norte, umas das áreas mais populosas de Manaus.

“Ampliar o acesso à educação a um maior número de beneficiários ajuda a diminuir as desigualdades sociais e a qualificar a população para as demandas que requer cada vez mais domínio de recursos, conhecimentos técnicos e mão de obra qualificada e preparada para os desafios pessoais e profissionais”, destacou o parlamentar, ao lembrar que, em 2008, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou o Decreto Lei Nº 11.892, criando 38 Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, dentre eles, o Instituto Federal do Amazonas, com cerca de 15 unidades em todo estado.

Fonte: PT na Câmara - por Assessoria de Comunicação/Foto (Crédito: Foto: Gustavo Bezerra)

Comente esta notícia