Instituto quer remoção de página que ameaça Lula no Facebook

Notícia postada em 08/08/2015 14:35

Instituto Lula alega que página da rede social viola as regras de conduta do site, pois ameaça a integridade física do ex-presidente e incentiva a violência.

O Instituto Lula informou, na sexta-feira (7), ter pedido, no dia 14 de julho, que o Facebook retire do ar uma comunidade que prega a morte do ex-presidente petista. A onda de ódio contra a legenda e representantes da sigla já saiu das ameaças e resultou em um ataque à bomba contra a sede do instituto que leva o nome do ex-presidente, no dia 30 de agosto.

Para a organização, a página da rede social viola as regras de conduta do site, pois ameaça a integridade física de Lula e incentiva a violência.

“Esse pedido foi feito antes do ataque da semana passada. Mesmo depois da bomba, no dia 30 de julho, o Facebook continua a não considerar como “ameaça real” uma comunidade que abertamente pede a morte de uma pessoa”, diz o texto.

Ao não ter o pedido atendido pelo Facebook, o Instituto Lula solicitou que os internautas ajudassem a denunciar a página.

“Por isso viemos, por meio do próprio Facebook, criticar a atitude da empresa e pedir aos usuários que repudiem essa comunidade que promove o ódio”, afirma o instituto.

Leia o texto postado pelo Instituto Lula, na íntegra:
“Facebook se recusa a remover comunidade que ameaça a vida de Lula

Desde o dia 14 de julho o Instituto Lula pede ao Facebook que retire do ar a comunidade “MORTE AO LULA”, criada e hospedada na rede social. Acreditamos que ela claramente viola as regras de conduta do site, porque ameaça a integridade física do ex-presidente e incentiva a violência.

Esse pedido foi feito antes do ataque da semana passada. Mesmo depois da bomba, no dia 30 de julho, o Facebook continua a não considerar como “ameaça real” uma comunidade que abertamente pede a morte de uma pessoa. Por isso viemos, por meio do próprio Facebook, criticar a atitude da empresa e pedir aos usuários que repudiem essa comunidade que promove o ódio. Denuncie essa página”.

Fonte e foto: Agência PT de Notícias

Comente esta notícia