Instituto Lula divulga documento com histórico dos 25 anos dedicados à transformação social do Brasil

Notícia postada em 03/08/2015 09:43

O Instituto Lula divulgou neste mês de julho relatório das atividades realizadas pela instituição desde 1990 quando o ex-presidente Luiz Inácio da Silva criou o Instituto de Estudos e Pesquisas dos Trabalhadores (Ipet), que mais tarde se transformou no Instituto Cidadania e, depois, em Instituto Lula. O documento, além de trazer documentos, mapas e gráficos das ações cumpridas pelo ex-presidente da República e pela equipe da entidade, mostra a trajetória de Lula na promoção dos direitos dos trabalhadores, na inclusão social e na conquista da democracia no País.

O relatório resgata as viagens realizadas por Lula desde 1993, quando se iniciaram as Caravanas da Cidadania, até 2015, como líder mundial contemplado em diversas instituições internacionais e homenageado em diversos países. “As viagens foram financiadas graças à colaboração de dezenas de pessoas físicas e jurídicas e a acordos firmados com instituições internacionais”, afirma Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula.

Okamotto destaca que o Instituto Lula é uma referência para os que lutam pela paz, pela consolidação da democracia, pela cooperação entre os povos de todo o mundo e se unem no combate à fome e à miséria. E acrescenta que o objetivo da publicação é formalizar e reafirmar os propósitos da atuação da entidade, no momento em que o Instituto Lula completa quatro anos de vida.

Atividades - O Instituto Lula atua para compartilhar e debater as experiências bem-sucedidas de políticas públicas, programas sociais e iniciativas em defesa de justiça e da inclusão social. A combinação, nos últimos anos, de desenvolvimento econômico com democracia e combate à exclusão, no Brasil, tornou-se referência para lideranças de várias partes do mundo, especialmente da África e América Latina.

Nesses quatro anos, o ex-presidente Lula e os diretores do instituto receberam embaixadores de 37 países africanos e de nove da América Latina, além de representantes dos Estados Unidos, da França, do Canadá, da China, entre outros. O Instituto Lula participou ou ajudou a organizar dezenas de encontros, palestras, seminários e debates no Brasil e em outros países. Também firmou acordos, parcerias
e convênios com institutos, ONGs e organismos multilaterais.

O ex-presidente Lula, nos últimos quatro anos, fez dezenas de viagens pelo Brasil e 77 viagens internacionais participando de atividades políticas, sociais, culturais e de eventos empresariais, sempre defendendo o Brasil, o potencial de desenvolvimento do País e as políticas sociais que melhoraram a vida de dezenas de milhões de brasileiros e brasileiras. Lula esteve na Índia, nos Estados Unidos, na França, na Itália, na Alemanha, na Espanha, em 16 países latino-americanos e em 10 países da África.

Histórico – O documento divulgado pelo Instituto Lula relembra que tudo começou com o chamado “Governo Paralelo”, um instrumento de ação política para o exercício de uma oposição qualificada ao recém-empossado governo Collor. Esse movimento resultou na elaboração de diversas propostas de alcance estratégico. E, no dia 7 de setembro de 1990, essas atividades deram origem ao Instituto de Pesquisas e Estudos dos Trabalhadores, Ipet, presidido por Lula. Entre seus principais objetivos estava o de “analisar políticas governamentais nas áreas da educação, saúde e cultura, elaborando propostas alternativas orientadas pelos interesses dos trabalhadores”.

Em setembro de 1993, o Ipet passou a se chamar Instituto de Pesquisa e Estudos da Cidadania. E foram dos debates e das iniciativas do Instituto Cidadania que surgiram projetos como o Fome Zero; o Projeto Moradia; o Projeto Energia Elétrica; o Projeto da Juventude e outros que serviram de base para programas e políticas públicas adotadas pelos governos do ex-presidente Lula, como o Fome Zero; o Bolsa Família, o Programa “Minha Casa, Minha Vida”, o Programa Luz Para Todos e o Projovem.

Ao terminar o segundo mandato presidencial, em janeiro de 2011, Lula retomou as atividades do Instituto Cidadania, com a perspectiva de aprofundar o processo de transformação social iniciado no Brasil em 2003. Nessa nova fase, o instituto, que a partir de agosto passou a se chamar Instituto Lula, buscou três áreas de atuação que caracterizavam a projeção internacional do Brasil no governo Lula: o aprofundamento das relações com os países da África, o avanço da integração latino-americana e o combate à fome no mundo.

Prêmios - Durante e depois do mandato presidencial, Lula foi agraciado com 93 tí-
tulos de doutor honoris causa de universidades brasileiras e internacionais, dos quais já recebeu 28, entre eles o da Sciences Politiques, de Paris, e das Universidades de Salamanca, Coimbra e San Marcos, do Peru a mais antiga das Américas. Também recebeu dezenas de prêmios internacionais, destacando-se o World Food Prize (EUA), o Indira Gandhi (Índia), o Africare (EUA) e o prêmio Lech Walesa (Polônia).

A íntegra do documento pode ser lido no link: www.institutolula.org.br/conheca-a-historia-e-as-atividades-do-instituto-lula-de-1993-a-2015.

Fonte e foto: PT Câmara com Instituto Lula

Comente esta notícia