Impeachment é um ‘processo de vingança’ contra o PT, diz Lula

Notícia postada em 10/12/2015 18:19

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, em entrevista ao jornal “El País“, publicada na quarta-feira (9), que o impeachment instalado contra a presidenta Dilma Rousseff tornou-se um “processo de vingança” contra o PT.

Lula disse ainda que a tentativa de destituir a presidenta não tem “nenhuma procedência”. Para ele, o Congresso atropelou o julgamento das contas do governo e discute a possibilidade de impeachment antes de chegar a um veredito sobre o caso das supostas “pedaladas fiscais”.

“As alegações sobre as contas da presidenta não é o Tribunal de Contas que vota, é o Congresso Nacional. Então que as contas que sejam votadas no Congresso antes de se falar em impeachment”, repreendeu.

“Você não vota as contas e já coloca o impeachment? E coloca como um processo de vingança com relação ao comportamento do PT. Mais grave ainda”, reforçou.

O ex-presidente avaliou ainda que há no Brasil hoje uma “combinação de dificuldades reais” e culpa a postura da oposição pelo agravamento da crise política. Aponta também, mais recentemente, o presidente da Câmara dos Deputado por “afrontar constantemente” a governança do país, “colocando pautas difíceis de serem aprovadas pelo Congresso, inclusive que complicam a própria economia do país”.

Ainda sobre a postura de Cunha, o ex-presidente disse que “faz parte da índole” do peemedebista “criar dificuldade” para a presidenta Dilma. Lula disse ainda que o presidente da Câmara tem um “comportamento totalmente irresponsável”, por não levar em consideração o que é bom para o País.

“O povo brasileiro está ansioso para que o país possa voltar a progredir, voltar a crescer. Para que a presidenta Dilma tenha a tranquilidade de governar esse país, para isso é necessário que ose votem as reformas que a presidenta mandou para o Congresso. É o que vai dar tranquilidade para a presidenta Dilma exercer o seu mandato”, disse.

Entretanto, o ex-presidente não acredita que o pedido de impeachment irá vigorar. “Se uma crise econômica num país qualquer, fosse razão para cair um presidente da República, todos estariam demitidos de 2008 para cá”, afirmou.

Fonte: Agência PT de Notícias/ Foto: Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula

Comente esta notícia