Governo vai à França buscar lista do HSBC

Notícia postada em 17/04/2015 19:12

Integrantes da CPI do HSBC-Swissleaks se reuniram na tarde desta quinta-feira (16) com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para solicitar a interseção do governo brasileiro no pedido de acesso a informações à França, país que detém a lista completa de correntistas envolvidos no caso.

Em resposta, os senadores saíram com a promessa do ministro de enviar um emissário, juntamente com a comitiva da Procuradoria-Geral da República, que se reunirá em Paris, no final de abril, com autoridades responsáveis pela investigação naquele país.

Em março, o presidente da CPI, senador Paulo Rocha (PT-PA), o vice-presidente, Randolfe Rodrigues (Psol-AP), e os senadores Fátima Bezerra (PT-RN) e Davi Alcolumbre (DEM-AP), fizeram o mesmo pedido ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Na ocasião, foi anunciado o envido de uma comitiva formada por Janot e pelo secretário de Relações Internacionais da PGR, o procurador Vladimir Aras, à França pedir a colaboração do Ministério Público do país.

A comissão marcou ainda uma visita ao embaixador da Suíça no Brasil, Andre Regli, para tratar do assunto.

Mais de 8 mil brasileiros foram identificados como donos de contas no banco HSBC na Suíça, entre 2006 e 2007. A CPI, instalada no Senado, investiga suspeitas de evasão de divisas e sonegação fiscal.

Até o momento, o governo francês atendeu ao pedido da Espanha, Argentina, Grécia, Bélgica, Estados Unidos e repassou as informações de clientes investigados.

O senador Paulo Rocha disse, após a reunião, que considera fundamental o apoio do Ministério da Justiça para que esses dados cheguem até a CPI. Segundo ele, o colegiado detém as prerrogativas judiciais necessárias para acessar a lista completa.

Depoimentos – Na manhã de hoje, a CPI do HSBC aprovou a convocação do diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello, e do jornalista suíço Jean Ziegler, para depor.

Está marcada também para a próxima quarta-feira (22), uma reunião com o presidente do HSBC no Brasil, André Guilherme Brandão. A comissão quer saber se o banco facilitou as remessas ilegais de dinheiro ao exterior.

Segundo informou o relator da CPI, senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), ao Blog do jornalista Fernando Rodrigues, o HSBC é réu na França e nos Estados Unidos por favorecimento de crimes de sonegação fiscal.

Os senadores aprovaram ainda requerimento para obter informações das 126 pessoas listadas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) como detentoras de contas no HSBC e investigadas por supostas fraudes fiscais.

A comissão quer saber se as contas foram devidamente declaradas à Receita e ao Banco Central, conforme determina a legislação brasileira. Foi aprovado também o envio à CPI de 50 Relatórios de Inteligência Fiscal (RIF), que estão sob responsabilidade do Coaf.

Fonte: Agência PT

Comente esta notícia