Governo Temer produz o pior PIB da história do Brasil

Notícia postada em 07/03/2017 21:40

“O resultado do PIB de 3,6% é fruto de tudo aquilo que ao longo dos últimos oito meses o governo ilegítimo tem feito. Aliás, esse resultado não poderia ser diferente”, denunciou o senador Humberto Costa (PT-PE), líder da Oposição no Senado Federal. O PIB de 2016 divulgado hoje pelo IBGE é o pior da história, ficando em 3,6% e equivalente a R$ 6,3 trilhões. O resultado inclui o período golpista entre os quatro piores momentos da economia nacional (veja o gráfico abaixo)

Ouçam o que diz o senador Humberto:

De acordo com Humberto, o que se vê é o governo ilegítimo adotando medidas que só agravam a situação da economia, não o contrário, porque nota-se o aumento da recessão, da desigualdade social e do desemprego. “Desde que a presidenta Dilma foi apeada do poder; desde que aplicaram o golpe e assumiu um governo sem legitimidade, a tendência era a de que a confiança dos investidores não fosse recuperada e o País não tivesse as condições de governabilidade que permitissem a retomada da economia”, afirmou.

“O IBGE apenas confirma a pior recessão no País desde 1930 e o governo quer piorar ainda mais a situação, com estudos para aumentar impostos”, também advertiu a senadora Gleisi Hoffmann, líder da Bancada do PT no Senado Federal. Para ela, “isso é veneno. É preciso colocar dinheiro na economia, como fez Lula na crise de 2008/09. Temer e Meireles querem atender o mercado financeiro. Cortar despesas sociais e investimentos e aumentar impostos. Só pode dar errado”.

“É preciso colocar dinheiro na economia, como fez Lula na crise de 2008/09. Temer e Meireles querem atender o mercado financeiro. Cortar despesas sociais e investimentos e aumentar impostos. Só pode dar errado”  - Senadora Gleisi Hoffmann

Na prática, explicou o líder, o Brasil ficou mais pobre, caindo posições no ranking porque o Produto Interno Bruto espelha a riqueza produzida pelas indústrias, pelo agronegócio, pelo setor de serviços, pelo consumo das famílias, pelo consumo do governo e pelo investimento na compra de máquinas e equipamentos. Com o encolhimento da economia, com o país mais pobre, a arrecadação tributária afeta os gastos públicos.

Mas para superar essa situação, Humberto Costa observa que as reformas da previdência e trabalhista só vão piorar o cenário econômico e não garantem a retomada.“Nós precisamos de medidas que caminhem no sentido oposto, ou seja, que façam a economia ser reanimada; que garantam um acesso maior ao crédito por parte das pessoas e empresas; que garantam investimentos públicos para termos geração de emprego e crescimento da receita dos estados e municípios. Entendo que o caminho que devemos seguir é este”, recomentou Humberto.

No conjunto da obra do governo golpista, nos últimos meses o que se viu foi o corte das linhas de crédito para as pessoas e para as empresas, com forte alta dos juros. Também se viu o governo fechando agências do Banco do Brasil – 800 ao todo -, o BNDES, que deveria ser o banco de desenvolvimento, cortou os empréstimos destinados a pequenos, médios e grandes empresários, inclusive reduzindo drasticamente os repasses para as regiões Norte e Nordeste.

O conjunto da obra do governo golpista também deve ser computado a venda do pré-sal e a decisão entreguista de acabar com um percentual mínimo de 60% de conteúdo nacional. O emprego que seria criado aqui no Brasil será exportado e o equipamento, com inovação tecnológica criada no País, será importado.

Se o PIB geral caiu 3,6%, o PIB que mostra o consumo das famílias recou 4,2%; a Formação Bruta de Capital Fixo caiu 10,2%; o setor agropecuário recuou 6,6%; a indústria 3,8% e o setor de serviços 2,7%.

Fonte: PT no Senado

Comente esta notícia