Governo corta juros e amplia linha de crédito para incentivar exportações

Notícia postada em 14/04/2016 19:15

O governo federal divulgou nesta quinta-feira (14) mudanças na linha de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) voltada ao financiamento da exportação de bens. As principais alterações consistem na redução das taxas de juros e na ampliação do estoque de financiamentos da linha Exim Pré-Embarque. A expectativa é que essas mudanças beneficiem mais de 3,5 mil empresas.

As linhas de pré-embarque permitem que as empresas produtoras e exportadoras disponham de capital de giro para a produção de um bem que será exportado. Segundo o banco de fomento, o crédito a custo competitivo é uma ferramenta importante para que as empresas nacionais, particularmente os fabricantes de produtos de maior valor agregado, possam ter acesso ou ampliar sua atuação no mercado internacional.

"Essa melhoria de condições se faz em um momento de alta capacidade ociosa do setor industrial, e a exportação é uma alavanca fundamental para recuperação do crescimento econômico", disse o presidente do BNDES, Luciano Coutinho.

As reduções das taxas de juros foram feitas de acordo com cada linha de financiamento do Exim Pré-Embarque. Os custos vão variar entre 9,10% e 15,75% ao ano, de acordo com cada tipo de produto que será exportado. A expectativa é que o custo de financiamento para bens de capital caia até 26%, enquanto para bens de consumo a redução possa chegar a até 29%.

Outra mudança importante foi no montante disponível para contratação, que subiu de R$ 4 bilhões para R$ 15 bilhões.

"O pilar do financiamento é fundamental para o Plano Nacional de Exportação. Sem esse pilar, nosso esforço perde força. Acho que hoje temos concretamente o que celebrar", disse o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro.

A ampliação da linha de crédito foi bem recebida pela iniciativa privada. "Para nós, o financiamento competitivo da produção pré-embarque, visando o mercado externo, é essencial, sem o qual não se consegue exportar máquinas", disse Carlos Pastoriza, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq).

Moderfrota

O BNDES também ampliou o orçamento dedicado ao financiamento do Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras (BNDES Moderfrota), para o ano agrícola 2015/2016, que se encerra em 30 de junho próximo. Com o reforço autorizado de mais R$ 300 milhões, o orçamento do Moderfrota passou para R$ 4,04 bilhões. A ampliação foi feita através de remanejamento de recursos de outros programas para o BNDES.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Mdic, do BNDES e da Abimaq

Comente esta notícia