Golpe visa interromper programas como Minha Casa Minha Vida, afirma Dilma

Notícia postada em 08/04/2016 19:41

A presidenta Dilma Rousseff garantiu que tem compromisso de jamais interromper o programa Minha Casa Minha Vida e que aqueles a favor do golpe querem acabar com o programa que já beneficiou mais de 10 milhões de pessoas, com a entrega de 2,63 milhões de moradias em todo o País.

A declaração foi dada na tarde desta sexta-feira (8), durante entrega de 4.452 casas do programa Minha Casa Minha Vida aos novos moradores dos condomínios Mikonos e Santorini, em Santa Cruz, no Rio de Janeiro (RJ).

“Vamos continuar fazendo um grande esforço para manter estes programas sociais tão importantes. Além disso, quem pretende interromper meu mandato é o projeto que considera um erro do governo federal colocar recursos para programas como o Minha Casa Minha Vida. Não concordamos com este tipo de posição”, afirmou.

Segundo ela, quem articula sua queda são pessoas que pretendem ‘pescar em águas turvas’ para chegar ao poder não através do voto, e sim por um golpe. Dilma garantiu que, até o final de seu mandato, entregará mais 3,5 milhões de casas.

A presidenta reafirmou a importância do programa de moradia popular. “Quando se constrói moradias, você também cria emprego, mexe na roda da economia, faz com que empresários contratem trabalhadores”.

“Chegaremos, até o final de 2018, a mais de 6 milhões de moradias construídas pelo Minha Casa Minha Vida. No Brasil, desde que Pedro Álvares Cabral chegou aqui, nunca teve um programa dessas dimensões. Não há hipótese, sob qualquer dificuldade financeira, de interromper esse programa”, garantiu.

Não Vai ter Golpe
Em sua chegada aos condomínios Mikonos e Santorini, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio de Janeiro (RJ), a presidenta Dilma foi recebida por moradores e membros da Frente Brasil Popular e da União Nacional por Moradia Popular, que seguravam faixas e entoavam palavras de ordem contra o golpe. Dilma parou para cumprimentar as pessoas e entrou nas casas para conhecer a estrutura.

 

Fonte: Agência PT - por Luana Spinillo, Foto: Marco Mari/Blog do Planalto

Comente esta notícia