Fórum Social Mundial começa com resistência aos retrocessos

Notícia postada em 13/03/2018 08:33

A resistência é a alternativa para enfrentar a onda de retrocessos, de ações antinacionais, agendas recessivas e ultraliberais de governantes não compromissados com as causas sociais e humanitárias. É o que apontam os organizadores do 13º Fórum Social Mundial, que acontece em Salvador (BA) entre os dias 13 e 17 de março.

Com o tema “Resistir é criar, resistir é transformar”, o evento promoverá diálogos, debates, reflexões e troca de ideias e experiências entre representantes da sociedade civil, movimentos sociais e ONGs brasileiras, e de países como França, Alemanha, Canadá, Senegal, Marrocos e Finlândia.

Além de o tema que envolve culturas de resistências, serão debatidos também democracia, direitos humanos, democratização da economia, feminismo e luta das mulheres, desenvolvimento, Justiça Social e Ambiental.

A expectativa dos organizadores é de reunir mais de 60 mil pessoas na 13º edição do FSM, as quais serão recebidas pelo governador da Bahia, o petista Rui Costa. Os participantes também terão a oportunidade de compartilhar momentos com o ex-presidente Lula, no dia 15 de março.

Confira a matéria na íntegra

Comente esta notícia