Filme 'Que horas ela volta?' disputa vaga ao Oscar 2016

Notícia postada em 15/09/2015 23:11

Em cartaz nos cinemas desde agosto, o longa-metragem dirigido por Anna Muylaert já foi premiado em Sundance e Berlim.

Longa-metragem dirigido por Anna Muylaert, Que horas ela volta? é o filme indicado pelo Ministério da Cultura (MinC) para concorrer a uma vaga como representante brasileiro no Oscar 2016. A escolha foi anunciada em 10 de setembro (quinta-feira) e oficializada nesta terça-feira, 15 de setembro, com a publicação de portaria no Diário Oficial da União.

Caso seja escolhido pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, o filme pode representar o Brasil na categoria de Melhor Filme de Língua Estrangeira – na qual concorrem cinco produções – na 88ª edição da premiação anual, a mais conhecida do mundo. Internacionalmente, o filme brasileiro ganhou o título de The second mother.

Em cartaz nos cinemas desde agosto, Que horas ela volta? vem conseguindo aclamação de público e crítica. Recentemente, o filme recebeu o Prêmio Especial do Júri na categoria atuação, conferido às atrizes Regina Casé e Camila Márdila, no Festival de Sundance, Estados Unidos. No Festival de Berlim, o longa ganhou o prêmio do público da mostra Panorama. A realização do filme contou com recursos da Agência Nacional de Cinema (Ancine).

Que horas ela volta? foi selecionado para a Indicação ao Oscar entre sete longas-metragens: A história da eternidade, de Camilo Cavalcante, Alguém qualquer, de Tristan Aronovich, Campo de jogo, de Eryc Rocha, Casa grande, de Felipe Barbosa, Entrando numa roubada, de André Miraes, Estrada 47, de Vicente Ferraz, e Estranhos, de Paulo Alcântara.

O drama dirigido por Anna Muylaert apresenta os conflitos vividos entre Val (Regina Casé) e sua filha, Jéssica (Camila Márdila). Trabalhando como doméstica em uma casa de classe média alta, Val reencontra a filha depois de 13 anos, quando a jovem vai prestar o vestibular em São Paulo.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da CulturaAncine e Agência Brasil

Comente esta notícia