'Esse julgamento não é contra mim e sim contra o nosso governo', diz Lula

Notícia postada em 22/01/2018 23:57

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu o apoio das principais centrais sindicais do país em encontro na sede do Instituto Lula nesta segunda-feira (22). Lula será julgado nesta quarta-feira (23) pelo processo do Triplex no TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4º Região). "Esse julgamento não é contra mim e sim contra o nosso governo. O que eu quero é que façam um julgamento decente e, com base nas provas que eles tem, decretem a minha inocência", avaliou o ex-presidente. 

Durante a reunião, Lula avisou que irá a Porto Alegre nesta terça-feira (23). O ex-presidente, no entanto, deve acompanhar o julgamento em São Paulo."Amanhã vou a Porto Alegre para agradecer a solidariedade do povo que está lá se manifestando. E depois vou aguardar o resultado tranquilamente".

Aos sindicalistas, o ex-presidente defendeu a união das categorias na luta contra o golpe e contra a retirada de direitos do trabalhador brasileiro. "Tem muito fascista nesse país querendo acabar com a representação dos trabalhadores. Jamais achei que eles tivessem a petulância de fazer a reforma do jeito que eles fizeram", alertou.

Anestesia

Para Lula, a população está acordando dos efeitos de uma anestesia provocada pelo processo de impeachment. "Deram uma anestesia no povo. Agora estão acordando e percebendo que a cirurgia foi pior para eles. É preciso fazer uma nova cirurgia que é a eleição direta pra presidência e quem sabe uma nova constituinte. A Constituição já recebeu mais de 105 emendas, o que significa que a Constituição de 88 não existe mais", analisou.

O ex-presidente também voltou a criticar as tentativas de tirá-lo da disputa eleitoral. "Eu nem precisaria ser candidato, já fui presidente. Mas eu não posso ser alijado de uma disputa política porque os que não gostam de mim não querem que eu seja candidato", concluiu. 

Fonte: Lula.com.br/Foto: Ricardo Stuckert
 

Comente esta notícia