Emissão de gases do efeito estufa no Brasil é 32% menor que a média mundial

Notícia postada em 27/10/2015 00:51

Participação de fontes renováveis tem forte influência na baixa emissão de dióxido de carbono no País, aponta Ministério de Minas e Energia.

Para gerar energia, o Brasil registra emissão de gases do efeito estufa 32% abaixo da média mundial, aponta o Ministério de Minas e Energia (MME). Isso significa que a matriz energética brasileira produziu menos gás carbônico (CO2) para fornecer a mesma energia que boa parte do planeta. Os dados estão presentes no boletim “Energia no Mundo”, que compara matrizes energética e elétrica de 89 países. Segundo o MME, a participação de fontes renováveis de energia tem forte influência na baixa emissão de gases do efeito estufa no País. 

Na matriz energética brasileira (que representa a energia necessária para movimentar a economia), a proporção das fontes renováveis é de 39,4%, mais de três vezes o indicador mundial, que é de 13,6%. Enquanto na matriz energética mundial os combustíveis fósseis respondem por 82% do total, na matriz brasileira o indicador é de 59%. 

A emissão de gases do efeito estufa no Brasil foi equivalente a 1,59 toneladas de gás carbônico para cada tonelada equivalente de petróleo em 2014. Foi considerando esse critério técnico que o MME calculou que a emissão brasileira ficou 32% abaixo da média global. No mundo, a emissão foi de 2,34 toneladas de dióxido de carbono por tonelada equivalente de petróleo. 

Em volumes totais, no ano passado o Brasil emitiu 486 milhões de toneladas de dióxido de carbono, o que equivale a 1,5% das emissões mundiais. 

O boletim “Energia no Mundo” é divulgado anualmente pela Secretária de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia (MME). O documento também traz indicadores sobre a produção e o consumo de energia nesses países e suas relações com o PIB, população, emissões de dióxido de carbono. 

Confira o boletim.

Fonte: Portal Brasil, com informações do MME

Comente esta notícia