Embraer recebe encomenda de 17 aviões para empresa europeia no valor de 764 milhões de dolares

Notícia postada em 30/03/2015 18:56

Embraer anunciou nesta segunda-feira (30) ter recebido um “pedido firme da KLM Cityhopper”, subsidiária regional da KLM, para o fornecimento de 17 aviões com valor estimado de US$ 764 milhões. Segundo a empresa, serão 15 jatos E175 e dois E190.

 “O pedido firme será incluído na carteira de pedidos do primeiro trimestre de 2015”, informou a empresa por meio de nota. O contrato também inclui opções para outros 17 E-Jets adicionais para a própria KLM Cityhopper ou para a HOP!, subsidiária regional da Air France. A confirmação de venda destas 17 aeronaves adicionais elevaria o valor total do contrato a US$ 1,5 bilhão.

 “A decisão da KLM Cityhopper de adquirir mais E-Jets é um grande endosso e a confirmação de que os E-Jets são os aviões mais eficientes, confortáveis e de menor custo operacional no segmento de 80 a 110 passageiros”, afirma Paulo Cesar Silva, presidente & CEO da Embraer Aviação Comercial.

A entrega do primeiro E190 está programada para ocorrer até o final do ano. Já o primeiro E175 vai se juntar à frota da KLM Cityhopper no primeiro semestre de 2016.

A aquisição desses 17 jatos da Embraer e a opção para um pedido adicional de outros 17 no futuro representa um grande passo para a KLM, em termos de renovação da frota”, avalia Pieter Elbers, presidente e CEO da KLM. A empresa transporta sete milhões de passageiros por ano, de acordo com Boet Kreiken, diretor da KLM Cityhopper.

 A Embraer colocou as aeronaves da família E-Jets em operação em 2004 e, atualmente estes aviões estão sendo utilizados por 65 companhias de 45 países.

A empresa

A Empresa Brasileira de Aeronáutica S.A (Embraer) foi criada em 19 de agosto de 1969, com apoio do governo brasileiro. O objetivo era levar ciência e tecnologia produzidas em solo nacional a um dos maiores expoentes da indústria aeronáutica mundial.

 Sua primeira missão foi produzir e comercializar o Bandeirante. Em seguida veio o pedido do governo brasileiro para fabricar o jato de treinamento avançado e ataque ao solo EMB 326 Xavante, sob licença da empresa italiana Aermacchi.

Fonte: Blog do Planalto, com informações da Embraer

Comente esta notícia