Em 2015, governo Dilma abriu 1,6 milhão de vagas em universidades

Notícia postada em 28/04/2016 20:24

Nesta quinta-feira (28) celebra-se o Dia da Educação e o Brasil tem muitos avanços para comemorar. A oferta de vagas disponibilizadas pelo governo da presidenta Dilma Rousseff no Ensino Superior atingiu 1,586 milhão de oportunidades para estudantes de todo o Brasil, ao longo de 2015 e no primeiro semestre de 2016. Já na educação profissional e tecnológica, oPrograma Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) do governo federal ofertou 1,3 milhão de vagas em 2015. Além disso, o programa Ciência sem Fronteiras atingiu ano passado a meta de conceder 101 mil bolsas de estudos no exterior nos quatro anos desde sua criação.

Ensino Superior

Em 2015 e no primeiro semestre de 2016, o governo federal abriu 1,586 milhão de vagas no Ensino Superior em todo o Brasil. Só pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), que oferece crédito para os estudantes em universidades e faculdades privadas, foram 564.279 novas vagas.

Outras 532.719 foram ofertadas pelo Programa Universidades Para Todos (Prouni), que dá a oportunidades de cursar universidades privadas com bolsas de até 100%. E 489.085 vagas foram distribuídas nas universidades federais por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

Desde 2003, mais de 9 milhões de pessoas concluíram o Ensino Superior. Em 2014, 35% dos formandos avaliados pelo Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) foram os primeiros da família a chegar à universidade.

Enem
Principal porta de acesso ao Ensino Superior, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015 contou com a participação total de 5,7 milhões de brasileiros. Além disso, 45 mil inscrições no Enem 2015 foram de pessoas privadas da liberdade.

A partir de 2016, os candidatos que prestam o Enem podem se preparar gratuitamente para as provas com o Hora do Enem, espaço interativo criado pelo Ministério da Educação que permite aos candidatos fazer simulados on-line, acompanhar aulas em canal de vídeos por demanda, conhecido por streaming, questões de Exames anteriores comentadas por professores, além de criar um plano de estudos próprio.

Pronatec
No intuito de reforçar a qualificação da mão de obra no Brasil, o governo Dilma ofertou, em 2015, 1,3 milhão de vagas de educação profissional e tecnológica por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Para 2016, outras 2 milhões de vagas serão disponibilizadas.

Desde 2011, foram mais de 9 milhões de matrículas, entre cursos técnicos e de formação inicial e continuada, com o objetivo de expandir, interiorizar e democratizar a oferta dos cursos de educação profissional e tecnológica do País.

O Pronatec mostrou na prática que dá resultado. O Brasil foi o campeão da 43ª edição da WorldSkills Competition, maior prova prática para estudantes da educação profissional e tecnológica do mundo. Os 11 jovens brasileiros que ganharam medalha de ouro fizeram cursos oferecidos pelo Pronatec.

Ao todo, foram 35 medalhas, o melhor resultado da história do País na competição. Além das premiações nas provas realizadas em 2015, o Brasil conquistou 18 certificados de excelência, com total de 99 pontos, à frente da Coreia do Sul e de Taiwan, que garantiram o segundo e o terceiro o lugar, respectivamente.

Pronatec Jovem Aprendiz
O governo lançou o Pronatec Jovem Aprendiz, com o objetivo de conceder vagas para estudantes em pequenas e micro empresas e dar suporte ao aprendizado com cursos técnicos gratuitos em instituições credenciadas no Pronatec.

As vagas são espalhadas por 81 municípios com alto índice de violência e vulnerabilidade social, selecionados com base no Mapa da Violência. Os jovens ficam inseridos no mercado de trabalho e, com qualificação adequada, aumentam as chances de garantir o emprego após o tempo de aprendizagem.

Ciência sem Fronteiras
Em 2015, o Programa Ciências sem Fronteiras atingiu a meta de conceder 101 mil bolsas de estudos no exterior nos quatro anos desde sua criação. De acordo com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) do Ministério da Educação, no final do ano passado, aproximadamente 24 mil estudantes frequentavam cursos de graduação e pós-graduação com a bolsa do governo.

Creches e pré-escolas
O governo federal concluiu 598 unidades de educação infantil em 2015. As obras fazem parte do Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil (Proinfância), que já entregou 3.089 creches e pré-escolas em todo o País, com investimento total de R$ 3,2 bilhões.

Em 2016, já foram concluídas mais 49 unidades. A perspectiva é de que cerca de 480 unidades, que estão com mais de 75% de execução da obra, sejam concluídas até o final desse ano.

 Fonte: Agência PT de Notícias - por Luana Spinillo/Foto: Universidade São Francisco

Comente esta notícia