Em 100 dias de governo Bolsonaro, saúde pública sofre o maior ataque da História, denuncia estudo

Notícia postada em 13/04/2019 20:42

Os primeiros cem dias do governo de extrema direita Jair Bolsonaro são desastrosos em todas as áreas, em especial a de saúde. O atual governo tem desestruturado políticas públicas de décadas e ataca com todas as forças o Sistema Único de Saúde (SUS). O sistema de saúde pública no Brasil, conquista árdua do povo brasileiro, nunca foi tão vilipendiado por um governo como agora.

Todo o retrocesso é comprovado por dados, conforme estudo preparado pelo NAPP – (Núcleo de Acompanhamento de Políticas Públicas) – Saúde, que reúne especialistas da área do Partido dos Trabalhadores, Fundação Perseu Abramo, o Instituto Lula e as lideranças do PT na Câmara e no Senado. O balanço preparado pelo NAPP destina-se a subsidiar os movimentos sociais, a sociedade e os parlamentares com informações e dados pormenorizados sobre a área de saúde.

O documento destaca que na área de saúde, diante de um quadro de desfinanciamento do SUS, provocado pela Emenda Constitucional 95/16, que subjugou os investimentos em políticas sociais aos princípios da austeridade fiscal, o silêncio do atual ministro da Saúde e dos demais dirigentes da Pasta nesses primeiros 100 dias de governo indica total capitulação ao postulado dessa emenda, o que agrava ainda mais a crise da saúde e coloca em risco a vida da população brasileira.

Venenos

O documento também denuncia a liberalidade do governo atual com os agrotóxicos, com a liberação de dezenas de novos venenos para serem usados no Brasil, embora sejam proibidos na União Europeia e nos Estados Unidos, por exemplo.

“ O Brasil já é líder mundial em consumo agrotóxico. Cerca de um terço dos ingredientes liberados para uso no Brasil estão proibidos na União Europeia, por exemplo. Nos  Estados Unidos, mais de 60 tipos de pesticidas foram banidos”, informa o documento, lembrando que a responsabilidade é do Ministério da Agricultura, com avaliação toxicológica da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O documento também levanta as ações do governo Bolsonaro – e suas consequências nefastas – no Programa Mais Médicos, na saúde indígena e mental. Trata também do sistema de informações e controle social do SUS.

Confira e divulgue o documento Balanço dos 100 dias da saúde no governo Bolsonaro

Fonte: PT na Câmara/Foto (Crédito: 

Comente esta notícia