Brasil aprofunda intercâmbio cultural com a França

Notícia postada em 20/03/2015 08:53

O ministro da Cultura, Juca Ferreira, desembarcou nesta quinta-feira (19/3) na capital francesa para participar da 35ª edição do Salão do Livro de Paris, um dos maiores eventos de literatura do calendário mundial.

O evento ocorrerá entre 20 e 23 de março e tem o Brasil como país homenageado.

Um dos primeiros compromissos durante a visita foi o aprimoramento do intercâmbio cultural entre Brasil e França.

Juca Ferreria participou, na tarde desta quinta-feira, de reunião com a ministra da Cultura e Comunicação da França, Fleur Pellerin. O encontro, que também contou com a participação do presidente da Fundação Biblioteca Nacional (FBN), Renato Lessa, estabelece uma "política de cooperação mais ousada" entre os dois países na área do livro, literatura e bibliotecas.

"Queremos criar um sistema de trabalho permanente. A França talvez seja o parceiro mais constante historicamente do Brasil, com talvez 200 anos na área cultural, e queremos aprofundar essas relações", afirmou o ministro. "Os franceses também querem avançar na área de fomento e financiamento à cultura e querem conhecer a experiência brasileira."

O ministro explicou que o governo se sente responsável por criar ambiente favorável para aumentar o intercâmbio cultural e citou o exemplo da política de tradução, que tem ajudado a tornar escritores brasileiros conhecidos fora do país. Um dos principais incentivos do ministério é o Programa de Apoio à Tradução e à Publicação de Autores Brasileiros no Exterior, executado pela Fundação Biblioteca Nacional (FBN).

"Essa política de divulgação da literatura brasileira no exterior vai continuar. É parte importante de estimulo à arte e à literatura em geral, queremos desenvolver novas políticas internamente", comentou Juca Ferreira.

Bolsas de tradução
A iniciativa da FBN inclui editais para apoio à tradução e à publicação de autores e autoras brasileiros no exterior por meio de bolsas; intercâmbio de autores brasileiros no exterior; e apoio à publicação de autores brasileiros na comunidade de países de língua portuguesa (CPLP).

Desde 1991, o programa já concedeu 770 bolsas, sendo 70% delas (543 bolsas) entre os anos de 2011 e 2014. A iniciativa resultou na publicação de obras de 290 autores em 47 países. Alemanha, Espanha, França, Itália e Argentina são os países que mais traduzem obras brasileiras.

Os autores e autoras do Brasil participaram, com apoio do governo, de diversas feiras literárias. Em 2012, marcou presença na Feira Internacional do Livro de Bogotá (Colômbia); em 2013, em Frankfurt (Alemanha); e, por último, em 2014, na Feira Internacional do Livro Infantil de Bologna (Itália).

Na manhã da próxima sexta-feira (20/3), o ministro irá visitar estandes do Salão de Paris, conceder coletiva de imprensa e fazer pronunciamento público no Pavilhão Brasileiro. Por volta das 16h, reúne-se com a Diretora-Geral da UNESCO, Irina Bokova. Já à noite, participa da recepção em homenagem aos autores e às autoras na Embaixada do Brasil na França.

No salão de Paris, o Brasil leva comitiva com 43 escritores brasileiros que representam a diversidade da literatura brasileira. Para a seleção, os curadores Guiomar de Grammont e Leonardo Tonus consideraram critérios como representatividade regional, equilíbrio de gênero (masculino e feminino), diversidade étnica e cultural, de gêneros literários e ciências humanas, de autores consagrados e novos e escritores, preferencialmente com obras traduzidas para o francês.

Fonte: MinC

Comente esta notícia