África deve focar nos jovens e no empoderamento de mulheres e meninas, diz Guterres

Notícia postada em 22/10/2017 21:40

A África deve se concentrar nos jovens, empoderar as mulheres e meninas e ser inovadora para alavancar recursos e financiar o desenvolvimento, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, na segunda-feira (16) ao lançar a semana da África nas Nações Unidas.

“A África é a terra da resiliência e, acima de tudo, de oportunidades”, disse ele, ressaltando o recente progresso do continente em reduzir a pobreza, diversificar suas economias, construir uma classe média e cultivar o crescimento em uma variedade de setores.

A África deve se concentrar nos jovens, empoderar as mulheres e meninas e ser inovadora em alavancar recursos e financiar o desenvolvimento, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, na segunda-feira (16) ao lançar a semana da África nas Nações Unidas.

“A semana da África foi criada para aumentar a conscientização e mobilizar apoio. Estou convencido de que, juntos, podemos enfrentar os desafios”, disse Guterres em suas declarações no evento inaugural ocorrido na sede da ONU em Nova Iorque.

O secretário-geral disse que a comunidade internacional deve mudar a forma como olha para o continente africano.

“A África é a terra da resiliência e, acima de tudo, de oportunidades”, disse ele, ressaltando o recente progresso do continente em reduzir a pobreza, diversificar suas economias, construir uma classe média e cultivar o crescimento em uma variedade de setores.

Segundo Guterres, para impulsionar esse potencial, os jovens devem desempenhar um papel central, já que a África tem a população juvenil de mais rápido crescimento no mundo.

“Podemos ajudar a aproveitar ao máximo esse dividendo demográfico através de maiores investimentos em educação, especialmente em ciência e tecnologia, e garantindo a participação dos jovens no desenvolvimento econômico. As pessoas precisam de habilidades que combinem com as necessidades de hoje e de amanhã”, disse.

Empoderar as mulheres e meninas da África também é fundamental, uma vez que a desigualdade de gênero está custando dezenas de bilhões de dólares por ano à África Subsaariana, como em qualquer outro lugar no mundo.

Outro ponto crucial é ser inovador na alavancagem de recursos e financiamento para o desenvolvimento, incluindo uma reforma tributária pelos próprios países africanos e esforços internacionais para combater a evasão fiscal, a lavagem de dinheiro e os fluxos financeiros ilícitos que esgotaram a base de recursos do continente, acrescentou.

Fonte: ONU/Foto: Banco Mundial/Trevor Samson

Comente esta notícia