Aeroporto do Galeão (RJ) recebe simulado para os Jogos Rio 2016

Notícia postada em 13/06/2015 19:57

Evento reuniu 41 voluntários com deficiência física ou visual. Investimento em projetos acessíveis no aeroporto é de R$ 3,5 milhões.

O Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão) recebeu o primeiro simulado de preparação para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. Com o objetivo de preparar o aeroporto para os dias de competição, o primeiro teste, na quinta-feira (11), priorizou a avaliação da acessibilidade.

Foram quatro horas de duração com mais de cem pessoas envolvidas, incluindo 26 cadeirantes voluntários da Associação Niteroiense de Deficientes Físicos (Andef) e 15 deficientes visuais do Instituto Benjamin Constant.

“O simulado foi um sucesso por dois motivos: primeiro, porque funcionaram muito bem todas as etapas entre a chegada dos Passageiros com Necessidade de Atendimento Especial (PNAEs) até a sua acomodação dentro da aeronave e depois o desembarque. Segundo, porque as pequenas falhas podem ser corrigidas até os Jogos”, afirmou o Coordenador do Comitê Técnico de Operação Especiais (CTOE) da Sac, Marlon Lustosa.

O Galeão foi o primeiro dos terminais a promover um simulado, mas o CTOE já havia visitado os terminais de todas as cidades-sede do futebol – o próprio Rio, Belo Horizonte, São Paulo, Brasília, Salvador e Manaus. Ao final das visitas, o CTOE apresenta um relatório sugerindo as melhorias necessárias em cada aeroporto. O operador, então, apresenta seu plano de adequação. Essas visitas precedem os simulados de acessibilidade que visam testar as operações e a infraestrutura aeroportuária.

No simulado do Rio, a preocupação se concentrou no embarque e desembarque. Foi verificado, especialmente, se o desembarque dos ônibus, na chegada, foi confortável e dentro do tempo adequado, se a inspeção era feita em tempo correto e oferecia cordialidade e conforto sem comprometer a segurança, e se o trajeto dessa inspeção até o interior da aeronave se dava em tempo adequado e confortavelmente. Depois foi feito o caminho de volta, da aeronave até o saguão. O CTOE produzirá um relatório sobre o simulado.

Investimentos em acessibilidade

O investimento total do Rio Galeão – consórcio responsável pela administração e operação do aeroporto por 25 anos – nos projetos de acessibilidade é de R$ 3,5 milhões. Logo que assumiu a administração do aeroporto, em agosto de 2014, o consórcio realizou um diagnóstico detalhado para identificar e melhorar o acesso de pessoas com deficiência em toda estrutura aeroportuária. As obras de adequação têm previsão de conclusão para agosto deste ano.

O projeto inclui pisos táteis de alerta, nas rampas e nos elevadores, além de avisos com informações de direção para encaminhar pessoas com deficiência visual a pontos de informação que estarão estrategicamente distribuídos pelo aeroporto.

Também serão instalados pontos de informação com projeção de áudiomapas táteis em que os passageiros poderão obter os principais dados sobre as instalações e operação de cada um dos pavimentos do aeroporto.

Toda a sinalização visual está sendo revisada para que sejam inseridas placas em braile, textos em relevo e pictogramas. Todos os sanitários acessíveis passarão por correções de altura de barras, vasos sanitários, comandos e sinalização.

Atualmente, o aeroporto dispõe de um novo ambulift para auxiliar no transporte de passageiros com limitações motoras em embarques remotos, que foi adquirido com investimento de R$ 500 mil. 

A concessionária também disponibiliza, de forma gratuita, cadeiras de rodas para os passageiros. Toda a equipe de atendimento do Rio Galeão passou por treinamento para receber pessoas com deficiências, que contemplou aulas de libras e a experiência de viver por um dia com limitações motoras para entender as principais dificuldades de uma pessoa em cadeira de rodas.

Eventos-teste

Durante os eventos-teste para os Jogos Rio 2016, alguns aspectos-chave para a Aviação Civil serão colocados à prova:

- Remo (5 a 9 de agosto de 2015) – Teste de chegada e partida de grandes volumes;

- Hipismo (6 a 9 de agosto de 2015) – Tratamento de chegada e partida de cavalos e produtos (medicamentos e alimentos) agropecuários;

-  Bocha Paralímpica (12 a 14 de novembro de 2015) e Rúgbi em Cadeira de Rodas (29 a 31 de janeiro de 2016) – Teste de condições de acessibilidade dos atletas.

A visita dos representantes das delegações dos Jogos, para a divulgação dos procedimentos que serão adotados nos Jogos Rio 2016, também servirá de teste para a Aviação Civil.

Fonte: Brasil 2016

Comente esta notícia