Aeroporto de Madri identifica caso suspeito de ebola em voo da Air France

Notícia postada em 16/10/2014 13:30

O Ministério da Saúde da Espanha confirmou que o protocolo de emergência para ebola estava em prática, mas não forneceu mais detalhes.

A Aena e a Air France disseram em comunicados separados que um passageiro do voo 1300 da Air France procedente de Lagos (Nigéria), via Paris, começou a tremer durante o voo. A Air France informou que os outros passageiros desembarcaram do avião, que agora vai ser desinfectado. O voo de volta foi cancelado.

Após 2º caso confirmado, hospital do Texas admite erros na gestão do ebola
Empresa chinesa envia droga experimental contra ebola à África e planeja testes

O governo da Espanha reforçou a resposta a casos suspeitos de ebola depois da preocupação provocado pela contaminação de uma enfermeira em Madri, que se tornou a primeira pessoa fora da África a ser infectada com a doença no surto atual.

A enfermeira Teresa Romero foi diagnosticado com o vírus na semana passada e ainda está gravemente doente, mas estável. Ela cuidou de dois sacerdotes infectados, repatriados da África Ocidental, e que mais tarde morreram.

Autoridades espanholas disseram nesta quinta-feira (16) que uma pessoa que esteve em contato com a enfermeira e estava sendo monitorada remotamente por sinais da doença seria hospitalizada, depois de apresentar febre, um dos sintomas do ebola.

A pessoa era uma das 68 consideradas de baixo risco de pegar ebola, que precisam verificar a temperatura regularmente em casa.

Outras 15 pessoas, incluindo o marido de Teresa, ainda estão sob observação por sinais de Ebola no hospital Carlos 3º, em Madri, onde ela está também sendo tratada, mas não mostraram sintomas.

A ministra de Saúde da Espanha, Ana Mato, defendeu nesta quinta-feira os controles nos aeroportos da União Europeia sobre os viajantes procedentes de países onde há ebola, para poder detectar as pessoas afetadas pelo vírus.

A ministra fez a declaração antes do início de uma reunião de titulares europeus de Saúde para falar do ebola. Ana considerou que esse tipo de exames não são incompatíveis com os controles de saída realizados nos aeroportos dos países africanos afetados pelo vírus.

Ela explicou além disso que na reunião extraordinária de hoje contará ao resto de países da União "o que ocorreu na Espanha" e as medidas que foram adotadas Ana considerou, nesse contexto, que os reforços que a Espanha fez "nos protocolos para maior garantia e segurança do pessoal de saúde e portanto de toda a população" podem ser exportados para todos os países da União.

Sobre a possibilidade de estabelecer controles nos aeroportos da UE, disse que "é um dos temas que vão ser discutidos hoje" e que "há muitas propostas sobre a mesa".

Comente esta notícia