Ação do governo no São Francisco na sexta-feira será momento histórico, diz Edinho Silva

Notícia postada em 17/08/2015 17:31

A ação da presidenta Dilma Rousseff, no Projeto de Integração do Rio São Francisco nesta semana, será um momento histórico. A obra é parte da agenda positiva que o governo federal vem construindo para o País, disse o ministro da Secretaria de Comunicação Social (Secom), Edinho Silva. A declaração foi feita em entrevista ao Blog do Planalto, nesta segunda-feira (17), após reunião de coordenação política realizada no Palácio do Planalto.

“O primeiro trecho de interligação do São Francisco, eu penso que é um momento histórico. Estamos, com essa inauguração da presidenta Dilma, superando problemas seculares. E muitos não acreditavam que um dia o Brasil, e principalmente o Nordeste, pudesse vivenciar um momento como esse, onde o Rio São Francisco começa a abastecer regiões que hoje sofrem do ponto de vista econômico e também do ponto de vista e também do ponto de vista da qualidade de vida pela falta da água”, afirmou o ministro.

A presidenta, de acordo com Edinho Silva, tem liderado esse processo de construção de uma agenda que dê visibilidade a programas e a projetos importantes do governo federal, o que envolve de viagens com inaugurações, diálogo com o empresariado, com trabalhadores e com movimentos sociais. “Penso que estamos criando o ambiente necessário para que o Brasil em breve supere as dificuldades e volte a crescer economicamente.”

Em coletiva à imprensa, o líder do governo, na Câmara, deputado José Guimarães, sintetizou a reunião desta semana em uma palavra: “Diálogo”. Segundo ele, é clara a disposição do governo de dialogar com os diversos segmentos, incluindo o Legislativo.

Agenda no Congresso 
O líder destacou pautas prioritárias de interesse do governo que serão votadas nesta semana no Câmara dos Deputados. Dentre elas, o projeto de lei que prevê a correção do Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS) e a PEC 172, conhecida como PEC do pacto federativo, que define que União, estados e municípios não criem despesas sem vinculação de receitas.

Já o líder do governo no Senado, senador José Pimentel, destacou que a Casa vai priorizar dois temas da Agenda Brasil: desoneração da folha e repatriamento de recursos. O primeiro tema está com urgência constitucional e tranca a pauta. De acordo com o senador, o relator da matéria, Eunício de Oliveira, está “com o processo adiantado, tendo condições de votar esta semana”.

Edinho Silva avaliou ainda que a presidenta Dilma tem liderado reuniões com representantes da Câmara dos Deputados do Senado Federal com o objetivo da construção de uma agenda parlamentar para o País. Explicou que o governo tem interesse em alterações na legislação que propiciem o crescimento econômico, a retomada da geração de empregos e a distribuição de renda. Para “quebrar esse ambiente de pessimismo, mostrar aos nossos empresários, ao povo brasileiro, que o Brasil tem todas as condições de superação desse momento de dificuldades”.

Fonte: Blog do Planalto/ Foto: Elza Fiúza/ Agência Brasil

Comente esta notícia